Visto por muitos como a solução para a crise financeira vivida pelo futebol brasileiro, os planos de sócios-torcedores vêm se reinventando e se tornando mais acessíveis, para evitar a perda do quadro associativo. Em Curitiba, Paraná Clube e Coritiba buscam metas para aumentar o número de associados adimplentes, elevando a receita dos clubes e, com isso, podendo montar times mais competitivos. O Coritiba realizou a ação mais ousada: lançou, na última semana, uma campanha de marketing buscando recuperar torcedores que ficaram inadimplentes no quadro associativo, perdoando a multa pelas mensalidades atrasadas.

“Estamos ainda no começo da campanha. O que posso adiantar é que, nos primeiros dias, a procura em nossa Central de Relacionamento com o Sócio foi extremamente interessante. Esperamos que esse interesse aumente ainda”, diz o vice-presidente do Coritiba, André Macias. Segundo dados do jornal Gazeta do Povo, o clube alviverde contou com mais de 26 mil sócios em janeiro de 2014 e, no mesmo período de 2015, o número caiu para 22 mil. A taxa de inadimplência, que era de 25%, passou a ser de 22%.

Já o Paraná Clube reformulou e unificou seus planos de sócio, permitindo que o torcedor contribuinte possa frequentar tanto a Vila Capanema quanto a sede social do clube, além de benefícios como o direito ao voto. A mudança fez com que o clube melhorasse significativamente os números do quase associativo. “Em apenas 2 meses de trabalho, atingimos a marca de 4.468 Associados pagantes. Nossa meta inicial nas duas primeiras fases [da reformulação] era de 5.000 associado”, explica o diretor de marketing do clube, Fabricio Stedile.

Cotas de TV desiguais criam problema

Outra questão que vem à tona quando se fala de realidade financeira dos clubes são as cotas de televisão, a maior fonte de renda da maioria dos clubes brasileiros. Distribuídas de forma desigual entre as equipes, as cotas obrigam os clubes que recebem menor porcentagem a procurar outra fonte de receita, como os planos de sócios torcedores. O sócio torcedor] é um dos pilares de sustentação dos clubes. O futebol brasileiro vive um processo de reestruturação, em que os clubes estão sendo obrigados a se adequar a uma nova realidade financeira. E os clubes como o Coritiba precisam cada vez mais desse suporte dos associados para concorrer de maneira menos desleal com as equipes que recebem uma verba maior de televisão”, analisa Macias.

Para o diretor de marketing do Paraná Clube, o processo para conquistar e manter sócios torcedores depende também do desenvolvimento do clube. “Devemos considerar que, para conquistar, aumentar e manter um número de sócios – que contribua significativamente com a saúde financeira de um clube -, são necessário, ao menos, três fatores: um time competitivo, um bom plano de sócios e um bom planejamento, de curto, médio e longo prazo”.

Clubes usam diversas plataformas para manter contato com sócios e torcedores

O Coritiba possui várias plataformas para atender torcedores que desejam contribuir com o clube através dos planos de sócio torcedor. “Toda interface entre clube e associado é realizada por meio da Central de Relacionamento com o Sócios. A Central atende o sócio por e-mail, telefone, pessoalmente e também chat online, o que otimiza essa comunicação direta. As questões são repassadas aos gestores responsáveis das respectivas áreas, que possuem o dever de responder rapidamente para que no menor tempo de espaço possível o associado tenha um retorno satisfatório”, explica Macias.

Da mesma forma, o Paraná Clube conta com diferentes meios para atender os torcedores. “O contato do Paraná Clube, de seu departamento de marketing e assessoria de imprensa, é realizado através de diversos canais: redes sociais, site oficial, mídias eletrônicas (TV, rádio), mídia impressa, através de seus parceiros institucionais e patrocinadores e, mais recentemente, também a partir do canal, do Novo Sócio: www.paranaclube.com.br/socio”, afirmou Stedile, diretor de marketing do clube.

Coritiba lançou uma campanha de sócios na última semana. Foto: Allan Costa Pinto/Arquivo.