Assim que o árbitro apitou, os jogadores do Atlético correram para o vestiário após serem goleados por 4×0 pelo Grêmio, na noite de quarta-feira (28), na Arena Grêmio. Uma sensação de que não tinham muito o que falar após uma derrota que praticamente eliminou o Furacão da Copa do Brasil – o time precisa de uma vitória por cinco gols de diferença na Arena para se classificar -.

E de fato. Os poucos que falaram, não souberam explicar o que aconteceu com o Rubro-Negro, que vinha de quatro vitórias consecutivas no Campeonato Brasileiro. “Não tem justificativa. Eles foram melhores que a gente e pronto. Justificar um placar deste é até feio”, disse o meia Carlos Alberto, que entrou no segundo tempo da partida.

Já o lateral-direito Jonathan se disse envergonhando pelo desempenho que o Atlético teve em campo e ressaltou que agora é momento de esfriar a cabeça.

“Nós entramos bem no jogo. Sofremos o gol com 22 minutos e desde então nossa equipe não soube controlar o jogo. O Grêmio é qualificado, toca bem a bola e nós não conseguimos neutralizar as jogadas. Time que não controla a bola acaba sofrendo gols. Ficamos chateados com o resultado. Somos homens e me sinto envergonhado por este jogo, assim como todo os atletas. Agora temos que esfriar a cabeça. Ficou muito difícil para o segundo jogo, mas é futebol”, reforçou ele.

Por fim, o meia Lucho González tentou encontrar uma explicação para o resultado ruim e ressaltou que o principal problema foi o Atlético não ter segurado mais a bola e não ter aproveitado as chances criadas.

“A gente até começou bem, sabíamos que nos primeiros minutos o Grêmio iria tentar e sair com posse de bola, tentando encontrar espaços pelo meio. Até ficamos bem fechados, tivemos as situações mais claras, mas não soubemos aproveitar. Mas quando se está em uma competição como esta, contra um adversário de qualidade, e não aproveita as chances, acaba pagando caro”, apontou o argentino.