O Atlético penou, mas conseguiu, apesar do revés para o Paraná Clube, na Vila Capanema, a classificação para as quartas de final do Campeonato Paranaense mesmo com uma campanha de 36% de aproveitamento, com duas vitórias em 11 partidas. O Furacão, em grande parte do Estadual, optou por utilizar seu time alternativo e por muito pouco não foi eliminado do certame.

Mesmo com todos esses riscos, o técnico Paulo Autuori não se arrepende do planejamento escolhido e lembrou que a campanha desse ano foi melhor do que a última vez que o clube usou seu time sub-23 na competição estadual, em 2015, quando acabou jogando o torneio da morte. Porém, naquele ano a equipe alternativa foi utilizada apenas na primeira metade da competição, ao contrário de 2013 e 2014, quando a garotada foi usada em todo o torneio, sendo vice em 2013 e semifinalista em 2014.

“Mudar por quê (o planejamento)? Estamos classificados. A última vez que jogou com o sub-23 foi pior. Então, a comparação não é com os outros. É conosco mesmo. Em relação a nós, aquilo que se fez como equipe sub-23, alguns anos atrás, se fez com uma equipe muito mais jovem. Não tem nada que mudar, não. Nossa prioridade continua a ser a Libertadores, mas tínhamos que preparar para isso”, salientou o comandante atleticano.

Classificado na oitava colocação, o Atlético terá pela frente de novo o Paraná Clube. O time paranista cravou a melhor campanha da primeira fase do Estadual. Para Autuori, a história daqui em diante será diferente e que a importância maior foi colocar os jogadores mais jovens para atuar na competição.

“Agora muda completamente a história com jogos eliminatórios e pronto. A história vai falar, no final, quem ganhou e não quem teve mais vitórias ou menos. Para nós, é o que vai valer. Mesmo que a gente ganhe o campeonato, o mais importante, para nós, foi expor. Isso que nós queríamos e isso que foi feito”, emendou o técnico.

Preparado para encarar o Paraná, o Furacão, porém, pode ter outro clássico pela frente nas quartas de final do Campeonato Paranaense. Se o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) julgar o caso da escalação irregular do atacante Getterson como procedente e o J. Malucelli voltar a perder 16 pontos, o Rubro-Negro subirá uma posição e vai encarar o Coritiba.