Desde a quarta rodada, quando perdeu por 3×1 para o Palmeiras, na Arena da Baixada, e abriu sua pior sequência na temporada, o Atlético vem sofrendo com a escassez de gols. Reflexo do futebol pouco objetivo apresentado pelo time atleticano que, de badalado nas primeiras rodadas do Campeonato Brasileiro, está agora afundado na zona de rebaixamento da competição. Dos últimos oito jogos, quando conquistou apenas uma vitória, foram apenas cinco gols marcados.

Na derrota sofrida para o São Paulo por 1×0, na Arena da Baixada, no último sábado (9), o problema ofensivo do Furacão ficou visível. O Rubro-Negro quase não incomodou o goleiro Sidão e ainda viu um erro na saída de bola ocasionar o revés. Essa escassez, inclusive, tem preocupado o técnico Fernando Diniz.

“Nosso problema é este. Não estamos conseguindo finalizar tanto em gol. Vamos trabalhar mais isso e, ao mesmo tempo, não deixar desguarnecido atrás. Para o jogo contra o Botafogo, a gente procura manter essa proteção e melhorar as ações de ataque que a gente tem bastante para crescer”, apontou o treinador.

Desses oito jogos, o Atlético passou em branco em quatro oportunidades. O Furacão, ao todo, fez dez gols no Brasileirão. Só não ocupa o posto de pior ataque da competição nacional porque na estreia, diante da Chapecoense, goleou os catarinenses por 5×1.

Nessa tentativa de aumentar o poder de fogo do Rubro-Negro, Fernando Diniz tem rodado bastante os jogadores de frente. Contra o São Paulo, por exemplo, o atacante Bergson, depois de um longo tempo fora, foi a aposta do treinador, mas pouco produziu. Isto porque a bola pouco chegou lá na frente.

Confira a classificação completa do Brasileirão!

O Atlético precisa aumentar seu poder de fogo logo para não ver sua situação ficar cada vez mais complicada. O time, depois da derrota para o São Paulo, voltou para a zona de rebaixamento, mas pode sair caso vença o Botafogo, nesta quarta-feira (13), às 21h, no Rio de Janeiro.