Mario Celso Petraglia, presidente do conselho deliberativo do Athletico, precisou passar por uma nova cirurgia, em decorrência do problema no intestino que vem enfrentando. O mandatário, que já tinha se submetido a um procedimento às pressas na última terça-feira (17), um dia antes da final da Copa do Brasil, voltou à sala de cirurgia no sábado (21). De acordo com nota divulgada pelo Hospital Nossa Senhora das Graças, o estado de Petraglia neste novo pós-cirúrgico é estável.

+ Jogo: Confira todas as informações sobre Vasco x Athletico

A primeira intervenção cirúrgica se deu porque o dirigente, que tem 75 anos, apresentava ‘suboclusão intestinal por aderências’, ou seja, o funcionamento do intestino estava comprometido por conta de faixas fibrosas na parede do órgão. A disfunção costuma acontecer por diferentes motivos como alimentação inadequada, uso de medicamentos ou até mesmo como consequência de cirurgias anteriores. Por conta da cirurgia, o mandatário viu do quarto do hospital, o Rubro-Negro se consagrar pela primeira vez na história como campeão da Copa do Brasil, no último dia 18.

+ Confira a classificação atualizada do Campeonato Brasileiro!

O segundo procedimento se deu após a equipe médica identificar uma ‘aderência/dobra’ de alça intestinal e ocorreu na manhã de sábado (21), mas somente à noite, às 21h, foi divulgado pelo Nossa Senhora das Graças um boletim do estado de saúde do presidente. De acordo com as informações oficiais, Petraglia está tendo uma boa recuperação, demonstrando estar “alerta, comunicativo, afebril, com sinais vitais normais e com bom estado geral”.

Confira na íntegra a nota do hospital:

O paciente Mário Celso Petraglia, presidente do Conselho Deliberativo do Athletico, em exame realizado hoje (21/9/2019) evidenciou aderência/ ‘dobra’ de alça intestinal.
Indicada cirurgia, no período da manhã, para tratamento da complicação cirúrgica, que foi realizada com sucesso.
O pós-operatório imediato transcorre sem intercorrências clínico cirúrgicas. Encontra-se alerta, comunicativo, afebril, com sinais vitais normais e com bom estado geral.
Permanece sob cuidados médicos habituais para este tipo de cirurgia.

Dr. Eduardo José Brommelstroet Ramos
Diretor Clínico Hospital Nossa Senhora das Graças