O Athletico e o presidente do clube, Mario Celso Petraglia, moveram um processo contra a Editora Abril e dois jornalistas da revista Placar por causa de uma reportagem de 2006, intitulada “O Esquema engorda Craque“. A alegação é de que a reportagem era ofensiva e pedia indenização por danos morais. O clube e o dirigente, no entanto, já tiveram duas decisões contrárias no caso, que ainda cabe recurso.

A reportagem tratava da dinâmica de identificação de jogadores com potencial para serem treinados, desenvolvidos e valorizados para posterior venda no exterior. O Tribunal de Justiça do Paraná, onde ocorreu a segunda decisão, divulgou o veredito na última sexta-feira (21).

O entendimento do Furacão foi de que a matéria sugeria a existência de ilegalidades nessas transações, por isso entrou com o processo. A ação, porém, não foi acolhida pelo juiz de primeiro grau. As palavras utilizadas pelos autores da reportagem estão dentro do campo do ‘jus narrandi’, ou seja, dentro do campo da narrativa jornalística, não tendo ultrapassado o limite da liberdade de expressão e comunicação”, consta na primeira decisão.

O clube e o seu presidente, então, recorreram ao TJ-PR. Mas a 9ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça, por unanimidade, manteve o entendimento da instância anterior. “A reportagem somente narra a estratégia do negócio, utilizando a palavra “esquema” como forma de diagramar os fatos, (…) explicando, ainda, a forma que o fundo de investimento encontrou para legalizar o negócio, deixando claro que obedece à legislação vigente”, afirmam os desembargadores no acórdão.

+ Mais do Furacão:

+ Técnico do Athletico se mostra preocupado com situação do time na Libertadores
+ Assista aos gols da goleada do Athletico sobre o Cascavel CR
+ Dorival Júnior compara Athletico com o BBB: “cada semana sai um”
+ Palmeiras empresta zagueiro para o Athletico