Não tem como negar. A grande atração do confronto entre Athletico e São Paulo, nesta quarta-feira (21), às 19h15, na Arena da Baixada, pela 13ª rodada do Campeonato Brasileiro, é o reencontro entre Adriano e Daniel Alves. Os dois, que jogaram juntos com a camisa do Barcelona, devem ter suas presenças confirmadas momentos antes do jogo.

De um lado está o curitibano Adriano, 34 anos. Revelado pelo Coritiba e com passagens por Sevilla, da Espanha, e Besiktas, da Turquia, além, é claro, das seis temporadas pelo Barça, o lateral estreou com a camisa rubro-negra na vitória sobre o Atlético-MG, no último sábado. Como era esperado, agarrou a oportunidade e deve seguir como titular.

+ Leia mais: Athletico enfrenta o “adversário ideal” São Paulo na Arena

“A minha questão é mais física. Preciso trabalhar pra poder atuar 90 minutos. Mas, estou feliz de ter voltado a jogar no Brasil. Estou à disposição do Tiago Nunes, se ele optar que eu esteja em campo contra o São Paulo”, disse o lateral-esquerdo do Furacão, que também pode atuar na outra ponta do gramado ou até mesmo como meio-campo.

A polivalência, aliás, é uma das características do outro personagem da partida. Daniel Alves, 36 anos, deu o seu pontapé inicial no time do São Paulo jogando no meio-campo. E a sua estreia, ocorrida no último fim de semana, contra o Ceará, foi muito mais positiva do que até ele próprio esperava.

+ Confira a classificação completa do Brasileirão!

Com a 10 do Tricolor, o atleta com mais títulos da história do futebol brasileiro anotou o gol da vitória por 1×0 e foi o grande destaque do confronto. Revelado pelo Bahia, Daniel Alves também passou pelo Sevilla, antes de vestir a camisa do Barcelona. Depois, ficou uma temporada na Juventus, da Itália, até se transferir por último para o PSG, da França.

“O que posso dizer é que não vim para o São Paulo para encerrar a carreira. Vim para lutar e construir uma história aqui e, como em todos os lugares, uma história de vitórias, de conquistas. Esse é meu principal objetivo”, ressaltou Daniel Alves. Quem ganha é o torcedor que comparecer ao Caldeirão, que terá o privilégio de acompanhar de perto dois dos maiores laterais da história do futebol brasileiro.