Aos 34 anos de idade, o meia Evandro Goebel está sem clube desde que deixou o Santos em junho. Catarinense de Blumenau, o jogador chegou a ter o retorno cogitado no Athletico, clube que o revelou e pelo qual foi vice-campeão da Libertadores 2005. A negociação, no entanto, esfriou por causa da pandemia de Covid-19.

E se pintasse uma proposta de um rival como Coritiba ou Paraná, ele toparia? Evandro respondeu em entrevista exclusiva à Tribuna do Paraná/Gazeta do Povo – assista na íntegra no vídeo acima.

“Pergunta difícil. Não sei te responder. Estou sem clube desde junho. Quando falavam da minha volta [ao Athletico] não era só o aspecto do campo. Têm funcionários [da minha época] que trabalham no clube até hoje… Então, é diferente. Mas como sou profissional não posso te dizer não iria, chega a proposta e eu vou ficar desempregado?”, respondeu Evandro, que ressaltou o carinho pelo Furacão.

No Brasil, além de Athletico e Santos, Evandro também já defendeu o Palmeiras, Goiás, Vitória e Atlético-MG. Na Europa, a trajetória começou com perrengues no Estrela Vermelha, da Sérvia, onde ficou sete meses sem receber salário. Depois, se consolidou atuando no futebol de Portugal e Inglaterra.

Pelo Porto, ele realizou o sonho de jogar uma Liga dos Campeões. No Hull City, fez parte do melhor campeonato nacional do mundo, a Premier League, mas também disputou a Championship, como é conhecida a segunda divisão inglesa.

Na entrevista, Evandro falou das diferenças que notou entre essas competições, apontou porque o argentino Jorge Sampaoli é o melhor treinador com quem trabalhou, e relembrou a época em que foi gandula na Arena da Baixada.

+ Mais do Furacão:

+ FPF define datas e horários das partidas de volta das semifinais do Paranaense
+ Com sombra de Walter, Bissoli assume a artilharia no Athletico
+ Satisfeito com o Athletico, Dorival estuda encaixe dos reforços


A Tribuna precisa do seu apoio! 🤝

Neste cenário de pandemia por covid-19, nós intensificamos ainda mais a produção de conteúdo para garantir que você receba informações úteis e reportagens positivas, que tragam um pouco de luz em meio à crise.

Porém, o momento também trouxe queda de receitas para o nosso jornal, por isso contamos com sua ajuda para continuarmos este trabalho e construirmos juntos uma sociedade melhor. Bora ajudar?