O prefeito de Curitiba e candidato à reeleição pelo DEM Rafael Greca confirmou nesta quinta-feira (24) que não vai participar do primeiro debate da eleição municipal por temer contrair covid-19. Greca será o único ausente no debate entre os 16 candidatos.

Em sua conta no Facebook, Greca alegou que a Band TV, canal que vai transmitir o debate, não proporcionará todos os protocolos sanitários de prevenção do coronavírus. Justamente para evitar aglomerações, os 15 candidatos que aceitaram participar foram divididos em duas datas no primeiro debate: 1.º e 14 de outubro.

“Quero dizer a todos que não participarei do primeiro debate na TV, o da Band. Tomei essa decisão com muito pesar, pois debater ideias é o meu forte e me motiva a trabalhar mais e melhor. Mas foi preciso, visto que mesmo com todas as orientações do nosso comitê de técnica e ética médica, o ambiente não proporcionará todos protocolos sanitários recomendados e tão amplamente pedidos por mim a todos vocês curitibanos”, escreveu Greca no Facebook.

LEIA TAMBÉM – Curitiba tem 16 candidatos para a prefeitura. Veja quem são!

Quero dizer a todos que não participarei do primeiro debate na TV, o da Band. Tomei essa decisão com muito pesar, pois…

Posted by Rafael Greca de Macedo on Thursday, September 24, 2020

No vídeo que postou junto com o texto, o prefeito voltou a enfatizar a falta de segurança sanitária na emissora de TV para o debate. “Depois de todas as recomendações do nosso criterioso comitê de técnica e ética médica, o ambiente apresentado não se coaduna, não está de acordo com as normas de segurança sanitária, com as distâncias respiratórias necessárias, por isso, não participarei”, reforçou o prefeito.

A reportagem da Tribuna procurou a Band TV de Curitiba, que emitiu um comunicado no final da tarde desta quinta. Segundo o texto, as declarações de Greca causam estranheza. “As declarações prestadas pelo atual Prefeito de Curitiba e candidato à reeleição, Rafael Greca (DEM), veiculadas em um vídeo através de uma rede social não condizem com a realidade, já que seu representante esteve presente na reunião realizada na data de ontem (23/09/2020) e em nenhum momento fez críticas sobre o local do debate ou sobre as determinações impostas pela Emissora, tampouco fez qualquer sugestão sobre as normais de prevenção à COVID-19”.

A organização do debate garante que todas as medidas recomendadas contra o coronavírus estao sendo tomadas e, por exemplo, os candidatos deverão permanecer de máscaras durante o encontro (podendo tirá-las apenas na hora das perguntas e respostas). Além disso, o candidato e os assessores autorizados a participar do programa deverão apresentar exames para detectar a doença.

Pelas mídias sociais

Apesar da ausência no primeiro debate da eleição à prefeitura de Curitiba, Greca fez questão de ressaltar que vai acompanhar o que os outros candidatos vão dizer. “Estarei nas redes sociais e se disserem mentiras sobre mim, direi verdades sobre eles”, disse o prefeito no vídeo postado no Facebook. Já no texto da publicação, Greca chamou os seus eleitores para trocar ideias com ele. “Estarei com vocês conversando aqui nas minhas redes, fiquem ligados para que possamos manter este diálogo direto”, reforçou.

Dois dias de debate

Todos os outros 16 candidatos à prefeitura de Curitiba foram convidados pela Band, sendo que só Greca se negou a ir. O debate será dividido em duas datas: 1º e 14 de outubro. A divisão foi sugerida pela emissora e aceita pelos postulantes ao cargo de chefe do poder executivo municipal justamente para evitar aglomerações no estúdio e prevenir a contaminação com a covid-19.

VIU ESSA? 12 mil WhatsApps clonados por dia no Brasil: como se proteger e o que fazer se for vítima

No primeiro dia de confrontos participarão Marisa Lobo (Avante), João Arruda (MDB), Renato Mocelin (PV), Paulo Opuszka (PT), João Guilherme (Novo), Camila Lanes (PCdoB) e Fernando Francischini (PSL). Já na segunda data devem estar presentes os candidatos Christiane Yared (PL), Goura Nataraj (PDT), Samara Garratini (PSTU) , Zé Boni (PTC), Diogo T. Hara Furtado (PCO), Caroline Arns (Podemos), Letícia Lanz (PSOL) e Eloy Casagrande (Rede).