Publicidade

Curitiba

Tem boi na linha

Avatar
Escrito por Eduardo Santana

Dois pontos da Linha Verde têm incomodado os motoristas que transitam pela via diariamente. O primeiro está localizado na parte sul, exatamente no trecho entre a Avenida Winston Churchill e a entrada da Ceasa. Por lá, a bronca é em relação às condições do asfalto e à falta de sinalização por causa das obras da trincheira do maior centro de distribuição de alimentos da cidade.

Segundo os motoristas, neste ponto o asfalto remendado por operações tapa buracos acaba gerando centenas de pontos de desnível. O empresário Rodrigo de Paula vive e trabalha na região do Pinheirinho e precisa passar por esse trecho todos os dias. “Reformaram quase toda a Linha Verde e esqueceram desse ponto. Aqui o asfalto está uma porcaria. Meu carro está com a suspensão desgastada por causa desse piso horrível”, reclama.

Entre a Av. Winston Churchill, no Pinheirinho, e o Ceasa, no Tatuquara, remendos e buracos incomodam quem passa de carro ou a pé. (Foto: Gerson Klaina)
Entre a Av. Winston Churchill, no Pinheirinho, e o Ceasa, no Tatuquara, remendos e buracos incomodam quem passa de carro ou a pé. (Foto: Gerson Klaina)

A diarista Rosarina Alves de Jesus mora no Tatuquara e pega ônibus todos os dias na marginal desse trecho da Linha Verde. Ela conta que as péssimas condições do asfalto também gera perigo para os pedestres. “Como tem esses desníveis, o pessoal acaba querendo desviar e muitas vezes vai para cima de quem tá andando nas marginais. É perigoso demais”, alerta.

Semáforo

Outro ponto que tem exigido da paciência de quem transita pela Linha Verde todos os dias está localizado no semáforo em frente ao Hospital Vita. Nesse trecho, a reclamação é em relação aos congestionamentos formados principalmente nos horários de pico. Segundo motoristas, no início da manhã e final de tarde as filas alcançam dois quilômetros de extensão.

“Já fiquei quase uma hora pra conseguir fazer esse trecho num final de tarde. A fila vinha lá da altura do Colégio Medianeira e chegava no Hospital Vita e não andava. Tudo por causa do semáforo que tem um tempo curto demais para o grande movimento que a Linha Verde tem nos horários de pico”, reclama o técnico de máquinas Claudionor Ramiro.

O vigia José Aparecido Oliveira trabalha em uma rua próxima ao semáforo da Linha Verde em frente ao Hospital Vitta. Ele conta que a confusão causada na via acaba atingindo as ruas próximas ao trecho. “Os motoristas mais apressados acabam querendo cortar caminho pelo bairro e até as ruas menores da região ficam lotadas de carro e atrapalhando os vizinhos que não têm nada a ver com o engarrafamento”, explica.

Intervenções

Procurada pela reportagem, a prefeitura de Curitiba informou que o trecho entre a Avenida Winston Churchill e o Ceasa é de responsabilidade da concessionária Auto Pista Planalto Sul, que está realizando intervenções no local. “Cabe à prefeitura de Curitiba somente construir as alças de acesso da trincheira no Km 116+550m, com previsão de licitação em junho 2015”, diz nota enviada à Tribuna.

Sobre o trecho próximo ao Hospital Vita, a prefeitura diz que a execução da Linha Verde Norte vai melhorar o tráfego de veículos no local. “Serão construídas três faixas em cada pista de sentido contrário e entre elas a canaleta do transporte coletivo. Além disso, consta no projeto mais uma via lateral que contará com estacionamento e a execução de uma trincheira, inicialmente projetada para a R. Fúlvio J. Alice / R. Amazonas de S. Azevedo. Lembrando que atualmente o trecho é servido por apenas duas pistas de cada lado da BR-476”, ressalta o comunicado.

Sinalização reforçada

A prefeitura de Curitiba divulgou ontem quem os 22 quilômetros da Linha Verde receberão reforço na sinalização a partir da primeira semana de janeiro. Serão utilizados diferentes tipos de placas, indicando, por exemplo, as normas para veículos lentos e as restrições para veículos de carga. Segundo a administração municipal, o objetivo é melhorar o fluxo do tráfego na Linha Verde.

Perto do Hospital Vita, congestionamentos são constantes. (Foto: Gerson Klaina)
Perto do Hospital Vita, congestionamentos são constantes. (Foto: Gerson Klaina)

De acordo com a prefeitura, serão 18 novas placas (nove em cada sentido da via), indicando que veículos lentos devem permanecer à direita, e 17 placas de sinalização indicando os acessos às trincheiras da Linha Verde. As orientações sobre a pista para veículos lentos estarão em placas aéreas, colocadas em semi-pórticos, projetadas para a avenida, em toda a extensão da Linha Verde, do Atuba até a Ceasa.

Outras placas ainda irão reforçar a restrição de tráfego para veículos de carga acima de 7 toneladas e sete metros de comprimento -, que hoje é das 7h às 10h e das 17h às 20h. Serão colocadas em diversos pontos na via e principalmente nas entradas da cidade, nos acessos das rodovias BR-277 e BR-376 à Linha Verde. (Da Redação)

sugestao

 

 

Sobre o autor

Avatar

Eduardo Santana

Eduardo tem 33 anos, é jornalista desde 2003 e fã de Slayer. E-mail: esantana@tribunadoparana.com.br Twitter: @santanation

(41) 9683-9504