enkontra.com
Fechar busca

Publicidade

Curitiba

Decreto de Bolsonaro provoca ‘procura armamentista’ em Curitiba

Foto: Felipe Rosa/Tribuna do Paraná
Maria Luiza Piccoli

Foi como rastro de pólvora. Depois que o presidente Jair Bolsonaro (PSL) assinou o decreto que flexibiliza a posse de armas no país, no último dia 15, o assunto virou um dos principais entre as pesquisas do Google relacionadas ao Brasil. Para saber a repercussão do assunto em âmbito global, basta digitar as palavras ‘gun control‘ – que, em português, significam ‘controle de armas‘ – no campo de pesquisas do site, que o próprio Google se encarrega de completar imediatamente com ‘in Brazil‘.

Considerada ‘perigosa‘ pelo portal de notícias nova-iorquino Bloomberg Opinion e ironizada pelo Wall Street Journal com o título: ‘Brasil tem uma ideia para consertar desenfreada violência por armas: mais armas‘, a chancela do presidente para a posse de armamentos repercutiu diretamente sobre o mercado voltado ao segmento em âmbito nacional e local. Para saber a quantas anda a venda de armas em Curitiba desde a assinatura do documento, a Tribuna fez uma rápida pesquisa junto a alguns representantes do comércio na cidade e concluiu: os motores estão apenas aquecendo.

+ Fique esperto! Perdeu as últimas notícias sobre segurança, esportes, celebridades e o resumo das novelas? Clique agora e se atualize com a Tribuna do Paraná!

‘Desculpa. Tá uma correria pra mim essa semana, tive que vir à Ponta Grossa resolver assuntos da loja daqui‘, desculpou-se a empresária Luane Vincentine, ao telefone, para a reportagem da Tribuna. Positiva em relação às perspectivas do mercado de armas para este ano, a empresária observa com satisfação o aumento substancial na procura pelos equipamentos neste último mês. De acordo com ela, o movimento na Az de Espadas, tradicional loja que administra no centro da cidade, aumentou em torno de 30% desde a assinatura do novo decreto. ‘Muito disso ainda é especulação. Curiosidade. As pessoas estão um pouco eufóricas e procuram a loja pra tirar dúvidas e saberem o que precisam fazer para comprar uma arma de fogo‘, explica.

+Caçadores! Curitibana pede socorro pra doença rara e sentencia: “cansei de ser fatiada”

Reflexo deste mesmo interesse, as vendas – segundo a empresária – também apresentaram um aumento significativo em comparação ao mesmo (curto) período do ano passado: 15%. A expectativa, no entanto, é de que esse número vá aumentando gradativamente ao longo do ano. ‘Faz apenas 20 dias que o decreto foi assinado. Esse tempo ainda não foi suficiente para observarmos um aumento das vendas. No entanto, com a grande especulação que temos observado nas lojas a probabilidade é de que, logo, cada vez mais gente compre armas de fogo‘, disse.

arma

Da mesma forma em outros endereços, espalhados por Curitiba, comerciantes do setor se preparam para o provável aquecimento do mercado. É o caso de Pedro Tulio, sócio proprietário da loja Bacamarte, no bairro Santa Felicidade. ‘Tivemos um aumento de 20% na compra de armas só nesse primeiro mês. Isso é muito positivo‘, comemora. Já Anderson Oliveira, gerente da loja virtual Brasil Tática, com sede na Rua 24 de Maio, observou maior movimentação de curiosos em sua loja, onde a procura aumentou em 30%. Entre os potenciais clientes, o gestor observa um fator em comum: a dúvida.

+Caçadores! Colar de âmbar báltico tem efeito medicinal! Mito ou verdade?

As pessoas estão cheias de dúvida em relação à nova legislação. O que pode, o que não pode e como fazer pra possuir uma arma. Isso ainda não está claro e as pessoas nos procuram pra perguntar‘, diz. No mesmo sentido avalia o gerente da Casa das Munições, Cassio Pereira, que afirmou que o aumento das especulações em sua loja aumentou cerca de 20% nos últimos dias. ‘O decreto pode ser comparado à Biblia. Cada um está lendo e interpretando do jeito que entende. Nos próximos meses a questão deve ficar mais clara, e o mercado mais aquecido, à medida que o próprio governo pontuar melhor o assunto‘, afirmou.

Armas a rodo

Foto: Felipe Rosa/Tribuna do Paraná

Foto: Felipe Rosa/Tribuna do Paraná

Tendência desde os primeiros flertes de Bolsonaro com a cadeira da presidência, o aumento da especulação acerca da posse de armas de fogo no Brasil não é assim tão recente e a aquisição, ao contrário do que se imagina, também não tem sido tão tímida nos últimos anos. Segundo o instituto Sou da Paz, de São Paulo, dados levantados pela Polícia Federal (PF), responsável pela regulamentação da posse de armas no Brasil, mostram que 805.949 armas de fogo foram comercializadas de forma legal no território nacional de 2004 a 2017. Em contrapartida, 704.319 unidades foram entregues voluntariamente pela população aos órgãos de segurança pública no mesmo período de vigência do Estatuto do Desarmamento. Reflexo da realidade nacional, no Paraná, a população também andou ‘se armando‘. Só em 2017, 3.464 armas foram vendidas legalmente por aqui. O número chega a ser 104,5% maior, quando comparado ao ano de 2004, quando 1.694 unidades foram comercializadas no estado.

Com o assunto em voga, outro ponto a ser comemorado pelos comerciantes do setor é a possível abertura do mercado a outras marcas de armas, prometida pelo presidente. Notícia não tão boa para a Taurus, fabricante que, hoje, monopoliza o mercado brasileiro e que só no período eleitoral observou um aumento de 400% em suas ações na bolsa de valores brasileira. ‘Sem dúvida essa é uma das maiores expectativas dos comerciantes. A quebra do monopólio, além de contribuir para a melhora nos próprios produtos seria um avanço muito grande para o setor‘, afirma Luane.

O que muda com o decreto?

Pelas novas regras, o cidadão que deseja possuir uma arma em casa deve seguir alguns critérios que comprovem tal necessidade. Um dos requisitos é que ele more numa cidade cujo estado apresente índices anuais de mais de 10 homicídios por cem mil habitantes, tabelados em 2016 pelo Atlas da Violência. Fato é que, todos os estados e o Distrito Federal obedecem tal critério. Só no Paraná, segundo o Atlas da Violência, o número chega a 27,4 homicídios por cem mil habitantes.

Confira os requisitos para se obter a posse de arma:

– Ter no mínimo 25 anos;

– Apresentar original e cópia do documento de identificação;

– Comprovar idoneidade e a inexistência de inquérito policial ou processo criminal (por meio de certidões de antecedentes criminais da Justiça Federal, Estadual, Militar e Eleitoral);

– Apresentar documento comprobatório de ocupação lícita e de residência certa;

– Comprovar capacidade técnica e aptidão psicológica (atestada por laudo emitido pela Polícia Federal ou entidade credenciada) para o manuseio de arma de fogo.

Segundo o decreto, pode ter uma arma em casa quem mora em local onde residam crianças, adolescentes ou portadores de necessidades especiais, mas para isso precisa possuir um cofre para guardar o equipamento. Também podem ter uma arma as seguintes pessoas: agente público (ativo ou inativo) da área de segurança pública; Integrantes das carreiras da Agência Brasileira de Inteligência; funcionários da administração penitenciária; trabalhadores do sistema socioeducativo e polícia administrativa; militar (ativo ou inativo); residente de área rural; dono ou responsável legal de estabelecimentos comerciais ou industriais; colecionador, atirador e caçador, devidamente registrado no Comando do Exército.

Bancada da bala promete parceria com Moro para flexibilizar o porte de armas

Sobre o autor

Maria Luiza Piccoli

Maria Luiza Piccoli

Deixe um comentário

avatar

28 Comentários em "Decreto de Bolsonaro provoca ‘procura armamentista’ em Curitiba"


Marcelo  De Souza
Marcelo De Souza
2 meses 24 dias atrás

Enquanto isso vice do bolsofurado bota filho em alto cargo no BB kkkk indústria

Rafael Pilha
Rafael Pilha
2 meses 24 dias atrás

#VamosFuzilarApetralhada

Marco Lelo Direita
Marco Lelo Direita
2 meses 24 dias atrás

Arma é só para defeza, tem que mostrar para a petralhada que é melhor ter e não precisar do que precisar e não ter “contra um meliante” na defesa pessoal

Cláudio
Cláudio
2 meses 24 dias atrás

Vi uma notícia de u.a treta entre dois rivais.
Um tomou um tapão, virou as costas e voltou com o brinquedinho.
Matou e fugiu.
Mas isso não vai acontecer. Afinal, quem vai adquirir a arma é um “cidadão de bem” e um “cidadão de bem” não vai revidar essas tretinhas como desavença, barulho a noite, trânsito ou uma entrada mais dura no futeba de domingo.
Oque será que fazem com a fatia do imposto que pagamos para nossa segurança?

Marco Lelo Direita
Marco Lelo Direita
2 meses 24 dias atrás

Passei por várias situações onde eu estava armado e nunca fiz valer minha palavra com a arma… nesse caso é outro meliante por matar sem estar se defendendo

Urtiga Coceira
Urtiga Coceira
2 meses 24 dias atrás

Quanta a.l.i.e.n.a.c.ã.o, isso já acontece a muito tempo, que argumento fraco…
Seu bebum presidiário de de estimação governou por 14 anos nem por isso me tornei alcoólatra…

Márcio Lisbôa
Márcio Lisbôa
2 meses 24 dias atrás

Fatos: a criminalidade não diminuiu com o estatuto do desarmamento, muito ao contrário aumentou. O número de assassinatos não diminuiu, muito ao contrário aumentou. O cidadão de bem passou a ter como única proteção um cachorro e uma cerca elétrica ou de concertina. É dever do Estado e direito do cidadão defender sua vida. A liberação das armas ainda vai melhorar e em breve estes malacos que assaltam casas vão começar a tombar.

Cláudio
Cláudio
2 meses 24 dias atrás

O estatuto do desarmamento vem desde 2003.
De lá pra cá “tudo aumentou”.
A população, as doenças, acidentes de trânsito….
E a tendência com a liberação das armas é de aumento nos homicídios também.
Se matar uma pessoa, bandido ou não, vai ter dor de cabeça.
Na verdade não mudou nada para a aquisição das armas. Apenas você pode comprar mais de uma, ou até 4 armas.
Se a liberação das armas (promessa de campanha) não mudou quase nada, acha que vão aliviar o lado se matar um bandido?

Paranito PentaCampeão
Paranito PentaCampeão
2 meses 24 dias atrás

Perfeito, ótimo, as pessoas de bem tem que poder estar prevenidos pra qdo. algum mano carçudo pular o muro da casa, é estanho na cara do ordinário e fica tudo resolvido.

Carlos Alberto
Carlos Alberto
2 meses 24 dias atrás

Comprem uma arma e enfiem no rabo de vocês…

Capi Roto Galhardo
Capi Roto Galhardo
2 meses 24 dias atrás

É bom?

Carlos Gomes
Carlos Gomes
2 meses 24 dias atrás

Argumento de quem já enfiou muita coisa no próprio rabo

Marco Lelo Direita
Marco Lelo Direita
2 meses 24 dias atrás

Eu tbm sonhava em um admirável mundo novo assim como você!!! A verdade é bem diferente.

Carlos Muniz
Carlos Muniz
2 meses 24 dias atrás

Energúmeno, compra arma quem quer, ninguém é obrigado.

Paranito PentaCampeão
Paranito PentaCampeão
2 meses 24 dias atrás

Enfiaremos no seu, marmita de bandido. Já tá tremendo na base é ?? Acho bom mesmo, pqe. agora com as pessoas tendo um cartão de visitas pra vc. e teus amiguinhos qdo. forem roubar a casa delas, vcs. serão muito bem recepcionados. Se quiser passar aqui em casa, seja bem vindo, só não sabe se volta pra fora do muro. Paiaço !!

Gabriela Moraes
Gabriela Moraes
2 meses 24 dias atrás

Não mudou nada, era necessários todos esses requisitos para comprar. Somente você precisava justificar, agora a justificativa está pronta, moro em uma cidade com alto índice de violência. Isso esta sendo mera especulação da imprensa, pois se vocês pesquisarem direito, de uns 4 anos para cá a venda aumentou e no ultimo ano aumentou mais ainda. O que está sendo é um bando de curioso que não baixa a cartilha no site da PF indo nas lojas pegar informação.

Carlos Gomes
Carlos Gomes
2 meses 24 dias atrás

Claro que as vendas vão aumentar com decreto, qq um meio esperto deveria saber, só que aumento real vai ser daqui um tempo, pois tem todo um tramite legal para compra, da forma que a mídia mostra parece que é só ir na loja e sair com a arma e não é bem assim.

Capi Roto Galhardo
Capi Roto Galhardo
2 meses 24 dias atrás

Além do preço ser alto…

A procura que vemos agora é tipo: “Gostaria de saber o preço da arma, por favor?”… Depois vão atrás de saber o que precisa para ter a posse, efetivamente, daí uns 90% desistem

Marcelo  De Souza
Marcelo De Souza
2 meses 24 dias atrás

E o governo que ao invés de investigar em segurança pública libera armas ….na Venezuela por exemplo porte de arma e liberado …veja os números de homicídios desse país ….um dos maiores do mundo …

2 meses 24 dias atrás

Se nao sabe o q fala é melhor ficar quieto! Desinformado e ignorante. Na venezuela o Estado desarmou a populaçao e criminalizou a posse e o porte.

Paranito PentaCampeão
Paranito PentaCampeão
2 meses 24 dias atrás

BOOAAA…tem mt. BBK falandoMaí sem saber !!

Carlos Gomes
Carlos Gomes
2 meses 24 dias atrás

Opa mas a Venezuela não é um feliz país socialista rsrsrsrs (SQN)

Capi Roto Galhardo
Capi Roto Galhardo
2 meses 24 dias atrás

A situação da Venezuela não tem nem comparação com a nossa, né? Chega a ser leviano da sua parte

Marcelo  De Souza
Marcelo De Souza
2 meses 24 dias atrás

Investir*

Galego
Galego
2 meses 24 dias atrás

A bandidagem será eliminada!

wpDiscuz
(41) 9683-9504