De alguns anos para cá, os canais pagos começaram a exibir conteúdos nacionais. Não pense que isso se deu pelo fato de as TVs americanas serem boazinhas, dando uma chance às histórias brasileiras. Resumidamente, esses conteúdos só ganharam força graças a uma lei que exige que canais da TV a cabo exibam no mínimo três horas e meia semanal de produções nacionais.

LEIA TAMBÉM: Netflix lança série de terror com histórias reais

Graças a isso, fomos presenteados com várias séries. “O Negócio” e “Maginífica 70” exibidas na HBO, “Me Chama de Bruna” pela Fox e “(Des)Encontros” pela Sony são alguns dos exemplos. O canal Space também não está de fora e estreou há alguns meses “Pacto de Sangue”, que agora está disponível na Netflix.

Com oito episódios, a série conta história do ambicioso jornalista Silas Campello (Guilherme Fontes) que tenta ganhar um programa solo em um canal de televisão regional de Belém do Pará. Capaz de tudo pela audiência, o jornalista infringe os princípios éticos da profissão e chega a participar da encomenda de assassinatos para poder exibi-los na televisão. Veja o trailer:

Pacto de Sangue” tem um elenco formado por ex-globais com nome de peso, como Guilherme Fontes (Boogie Oogie), André Ramiro (Tropa de Elite), Cristina Lago (Sob Pressão), Mel Lisboa (Os Dez Mandamentos), o ex-Titãs, Paulo Miklos e o veterano Fúlvio Stefanini (Amor à Vida).

CONFIRA TAMBÉM: Veja o que sai na Netflix em novembro

Cheio de ação, “Pacto de Sangue” é um suspense viciante, digno de uma maratona. É pra quem gosta de uma história policial que questiona o sistema político, crise social, o uso do sensacionalismo em trágicas histórias sem pudor, além do questionamento da cultura do medo.

Eu não gosto muito de usar essa frase, mas se serve como elogio, eu direi: “nem parece brasileiro”.

Avaliação: ⭐⭐⭐1/2
Pra quem gosta: policial
Pra assistir: com amigos ou sozinho
Filmes/Séries semelhantes:  La Casa de Papel e Marcados para Morrer e Narcos

“O Primeiro Homem” é uma emocionante história sobre a viagem à lua