Greta Gerwig mais uma vez tenta deixar sua marca no cinema mundial. Depois de dirigir o elogiado Lady Bird: A Hora de Voar, longa que fez a cineasta concorrer na categoria de Melhor Direção em 2018 no Oscar, Gerwig volta aos cinemas para lançar Adoráveis Mulheres, filme estrelado por Saiorse Ronan (Brooklyn), Emma Watson (saga Harry Potter), Laura Dern (História de um Casamento) e Florence Pugh (Midsommar – O Mal Não Espera a Noite).

LEIA MAIS: O que chega nos cinemas em 2020

A trama é baseada na obra-prima literária Mulherzinhas de Louisa May Alcott. Tanto o livro como o filme se passam em 1860 e contam a história de quatro irmãs cheias de sonhos, que tentam levar a vida normalmente após o pai ir para a Guerra Civil Americana.

Cena do filme ‘Adoráveis Mulheres’. Foto: Divulgação/Sony Pictures

Um romance leve e cheio de emoções. Greta Gerwing traz a história para as telonas com um roteiro ágil, com grandes momentos profundos e reflexivos. A cineasta amarra a história em uma ótima edição de flashbacks, causando surpresas e cenas impactantes ao espectador.

O elenco majoritariamente formado por mulheres é incrivelmente cheio de atuações impecáveis. Assim como foi em Lady Bird, Saiorse Ronan volta a protagonizar uma das melhores interpretações de sua carreira, digna a uma indicação ao Oscar deste ano. Laura Dern como mãe, Emma Watson e Florence Pugh no papel de irmãs e Meryl Streep interpretando a carrasca tia fecham o elenco de peso dando um show de atuação.

CONFIRA TAMBÉM: Vencedores do Globo de Ouro 2020

A trilha sonora de Alexandre Desplat, mesmo compositor de O Discurso do Rei e A Forma da Água, é maravilhosamente encantadora. Suas músicas combinam sonoramente unindo com a ótima fotografia do filme. E, pra fechar, o figurino assinado pela especialista em filme de época Jacqueline Durran é impecável.

Cena do filme ‘Adoráveis Mulheres’. Foto: Divulgação/Sony Pictures

Adoráveis Mulheres é aquele delicioso filme de época que em algum momento você vai rir e em outro se emocionar. O longa traz reflexões sobre a cultura machista, os desafios da igualdade de gênero e a sororiedade de forma leve em um tempo que estes problemas eram poucos mencionados.

Greta Gwerig entra no time de mulheres que vão/fazem histórias no cinema, como Agnès Varda, Sofia Coppola e Kathryn Bigelow.

Avaliação: ⭐⭐⭐⭐
Pra quem gosta: drama
Pra assistir: amigos, crush, família e sozinho
Filmes/Séries semelhantes: O Estranho Entre Nós, O Sorriso de Mona Lisa, A Vida Invisível