O jornalista Mauro Naves, da Globo, foi afastado de suas atividades como repórter esportivo após ter supostamente passado o contato do pai de Neymar para um ex-advogado da mulher que acusa o jogador de estupro. Inclusive, a informação foi tratada em nota lida por William Bonner no Jornal Nacional da última quarta-feira.

Disse Bonner que Naves está afastado até que o caso envolvendo o jogador esteja resolvido. Por essa relação com as fontes, não me lembro de repórteres que tenham sido afastados da Globo da mesma forma. No caso de Mauro, havia a busca pelo chamado “furo de reportagem”.  

+Leia também: Atores globais gravam filme baseado em livro espírita em Curitiba

A emissora nunca se preocupou, por exemplo, com a amizade de Galvão Bueno com Ayrton Senna e Ronaldo Fenômeno. Aliás, na biografia do narrador, ele próprio comenta a relação próxima com os dois ídolos nacionais. Ronaldo até assina o prefácio do livro. Podemos até pensar que Galvão tem a função de narrador, mas, mesmo assim, também leva informação ao público. E essa informação poderia ser privilegiada por conta do relacionamento próximo com ambos os ídolos? É questionável.

Por conta disso, a forma como Naves foi afastado do núcleo esportivo da Globo, com nota no principal telejornal da casa, causou estranheza em muita gente, até nos colegas de emissora, dizem nos corredores.  O repórter tem muita experiência, está acostumado a grandes coberturas e sempre teve o trabalho elogiado por companheiros de profissão. Vamos aguardar, como numa novela, as cenas dos próximos capítulos do afastamento. Você concorda com o afastamento de Mauro Naves?