Penso, aqui: quem poderia prever que o Athletico tão vencedor, aplaudido e exaltado nacionalmente, seria o responsável por reacender a rivalidade com o Coritiba por um motivo, que é a disputa direta contra a queda para a Segundona? Talvez, nem os próprios coxas, que publicamente já admitiram uma diferença de inferioridade com o Furacão.

Agora, vejam só. O que era uma rivalidade que tinha como causa a grandeza de cada um, agora é motivado por um fato desprezível que no futebol tem como fonte a incapacidade de comando. Do Coritiba, tudo era esperado; mas, do Athletico… O mais grave é que a maioria dos atleticanos não acredita que alguma desgraça possa acontecer.

Um dia desses, o treinador Paulo Cesar Carpegiani, que entende que o Furacão não será rebaixado, me deu uma lição: em momentos como esse, o peso emocional é tão mortal quanto a eventual limitação técnica. “Quando se luta para sair da zona de rebaixamento ou se afastar dela, a carga que se carrega pesa 500 quilos”, disse-me o amigo.

É aí que entra a magnitude de Paulo Autuori, muito mais pela sua experiência de vida, do que de futebol, embora as duas se associem. Amanhã, o Athletico joga contra o Goiás, em Goiânia. Mais temerária que do Furacão, é a situação do Goiás. Lanterna, começa a perder jogos que não merecia e com influência negativa do arbitro, como na derrota para o São Paulo.

A absoluta independência profissional e pessoal de Paulo Autuori tem a capacidade de carregar “os 500 quilos” que pesam atualmente sobre o time do Furacão.

Resta saber se, sem peso, Nikão e seus companheiros são capazes de flutuarem em Goiânia.

Pobre de nós, jornalistas, também, obrigados a voltar a esse mundo de sombras e traumas. Isso sem considerar que é necessário, também, tratar sobre o Paraná na Segundona, coisa que eu me poupo por respeito ao clube. Pobre de mim, em especial, que já havia me acostumado com a supremacia de analisar vitórias e conquistas, e jogar a Segundona a um passado bem remoto.

Amanhã, após o jogo do Athlético em Goiânia, o blog será atualizado.

+ Mais Mafuz:

+ A ação moleque de Samir
+ Furacão, um século em uma semana