enkontra.com
Fechar busca

Mundo

mundo

Republicanos e democratas têm reunião positiva sobre orçamento e teto da dívida

  • Por Estadão Conteúdo

A Casa Branca e os principais líderes do Congresso dos Estados Unidos emitiram avaliações otimistas nesta quarta-feira, após uma reunião no Capitólio, em que foi feito progresso em questões fundamentais no início do ano legislativo, começando com um acordo bipartidário esperado para o orçamento.

A reunião no escritório do presidente da Câmara, o republicano Paul Ryan (Wisconsin), veio pouco mais de duas semanas antes de uma possível paralisação do governo americano caso o teto da dívida não seja elevado novamente. Na agenda do encontro, estiveram presentes questões como imigração, assistência em caso de desastres naturais e gastos com saúde. Um acordo nessas questões poderia ser um prelúdio para um avanço em novos projetos do presidente americano, Donald Trump, como o plano de investimentos em infraestrutura.

Tanto os democratas quanto os republicanos emitiram declarações positivas após a reunião, que durou mais de uma hora e incluiu o diretor do orçamento da Casa Branca, Mick Mulvaney. “Tivemos uma reunião positiva e produtiva e todas as partes concordaram em continuar discutindo um caminho para resolver todas as questões que estão à nossa frente”, disse o líder democrata no Senado, Chuck Schumer (Nova York), e a líder democrata na Câmara, Nancy Pelosi (Califórnia), em declaração conjunta.

Ryan e o líder republicano no Senado, Mitch McConnell, também disseram, em um comunicado conjunto, que esperam que “novas discussões conduzam a um acordo em breve”. De acordo com o vice-líder republicano no Senado, John Cornyn (Texas), McConnell disse aos integrantes do partido que a conversa foi “surpreendentemente boa”.

O debate sobre o orçamento para o ano fiscal de 2018 está travado devido a uma demanda dos democratas de que os programas não defensivos ganhem aumentos iguais aos que serão concedidos ao Pentágono. Essa foi uma característica de planos orçamentários anteriores em 2013 e em 2015, que foram negociados durante o mandato do ex-presidente Barack Obama. Agora, com Trump no Salão Oval, os republicanos insistem que a ideia de paridade pertence ao passado.

“Precisamos deixar de lado a noção arbitrária de que os novos gastos com defesa sejam combinados igualmente com novos gastos não defensivos”, disse McConnell no início do dia. “Não há nenhum motivo pelo qual o financiamento para a nossa segurança nacional deva ser limitado por uma fórmula política arbitrária que não tem relação com a necessidade real”, comentou. Fonte: Associated Press.

Siga a Tribuna do Paraná
e acompanhe mais novidades

Deixe um comentário

avatar
300

Seja o Primeiro a Comentar!


wpDiscuz

Últimas Notícias

Mais comentadas