enkontra.com
Fechar busca

Publicidade

Curitiba

Economia no hortifrúti

Foto: Felipe Rosa
Luisa Nucada
Escrito por Luisa Nucada

Reservar um dia da semana (ou do mês) para se deslocar até um sacolão, mesmo que o local não fique próximo à sua casa, é uma boa estratégia para economizar na compra de hortifrúti. Nos estabelecimentos públicos, como as unidades do Sacolão da Família de Curitiba e de São José dos Pinhais, as frutas, verduras e legumes saem em média 40% mais baratos que em mercados tradicionais, de acordo com as prefeituras dos municípios. A pesquisa realizada ontem pela Tribuna encontrou diferenças de até 262% no preço do limão, comparando um sacolão público a uma grande rede de supermercados. A menor variação verificada pela reportagem não deixa de ser significativa: 20%, na compra da cenoura.

Preço baixo

Edson:

É a primeira vez que Edson vai ao Sacolão da Família de São José.

Em São José dos Pinhais, o Sacolão da Família foi inaugurado na semana passada – dia 31 de maio – e já teve de ampliar os horários de atendimento devido à grande procura. Os artigos de hortifrúti saem ao valor fixo de R$ 1,99 o quilo, inclusive as folhosas (como alface, rúcula e couve). Os itens embalados em bandejas e orgânicos têm custo diferenciado. Por R$ 1,50 é possível levar duas cabeças de alface americana ou brócolis.

Em sua primeira visita ao local, o pedreiro Edson Luiz Greboge, de 37 anos, pesquisava os preços e os informava em tempo real para a esposa, via Whatsapp. “Geralmente é ela quem faz compras e está dizendo que aqui está compensando. A maçã, mesmo, está bem mais barata que no mercado”, diz ele, que não costuma fazer checagens em diferentes locais para não gastar a mais na gasolina.

Dos 10 itens verificados pela reportagem (ver tabela), somente o alho estava com o preço salgado no sacolão da cidade metropolitana: R$ 35 o quilo. No Sacolão da Família Carmo, na Rua da Cidadania do Carmo, no Boqueirão, o mesmo item saía a R$ 24.

Prefeitura de Curitiba reajustou o valor único dos 16 Sacolões da Família da cidade de R$ 1,99 para R$ 2,29. Foto: Felipe Rosa. Foto: Felipe Rosa

Prefeitura de Curitiba reajustou o valor único dos 16 Sacolões da Família da cidade de R$ 1,99 para R$ 2,29. Foto: Felipe Rosa. Foto: Felipe Rosa

No fim de maio, a Prefeitura de Curitiba reajustou o valor único dos 16 Sacolões da Família da cidade de R$ 1,99 para R$ 2,29, no fim de maio. Nesta segunda-feira (6), no entanto, a unidade do Carmo ainda mantinha o valor antigo. “Eu já vim preparada para pagar um pouquinho mais, que bom que ainda não aumentou. Venho direto aqui porque tem de tudo e é perto da minha casa, então é prático, acabo economizando no tempo também”, diz a dona de casa Elenice Souza, 56. De acordo com a prefeitura, mesmo com o reajuste, os Sacolões da Família oferecem economia média de 45%, em comparação com os preços de mercado.

No privado, atenção

Mesmo com o reajuste no preço, Elenice disse que compensa em comprar no Sacolão da Família.

Mesmo com o reajuste nos preços, Elenice disse que ainda compensa comprar no Sacolão da Família.

Já em sacolões particulares, a Tribuna concluiu que não dá pra sair comprando de tudo se a intenção é economizar. No Sacolão Curitiba, ao lado do Terminal Guadalupe, artigos como o tomate (R$ 3,69/kg) e o alho (R$ 39,90/kg) estavam mais caros que em redes de supermercado. Somente na banana caturra o estabelecimento foi campeão de preço baixo: R$ 1,39 o quilo.

Via de regra, as grandes redes de supermercado só oferecem ofertas atraentes no setor de hortifrúti em promoções, fixadas em um dia da semana. No entanto, costumam subir o preço de outros artigos para fazer a compensação. O Super Mufatto do Hauer vendia a cebola (R$ 4,98/kg), a couve (R$ 3,59/maço) e a maçã fuji (R$ 6,98/kg) aos valores mais altos encontrados pela reportagem. Já o supermercado Condor do Boqueirão era o que cobrava mais caro pela batata (R$ 6,43/kg), pela alface lisa (R$ 1,77/unidade) e pelo limão (R$ 7,21/kg). Por outro lado, o menor preço para o quilo do alho foi encontrado lá: R$ 23,93 – 67% mais barato que no sacolão particular.

Ao lado de casa

Foto: Felipe Rosa

Foto: Felipe Rosa

Os mercados menores, de bairro, oferecem a vantagem da proximidade, e são ideias para os pedestres ou para aquela compra de última hora. São boa opção também para quem deseja colocar dinheiro na economia local ou comprar de pequenos empresários. Alguns itens, no entanto, podem pesar no bolso. A cenoura, por exemplo, estava 20% mais cara no mercado Monza, do Boqueirão, do que no Super Mufatto do Hauer. Já o maço de couve era um bom negócio: saía 63% mais barato no mercado de bairro em comparação à rede de supermercado.

Dono de um restaurante, o comerciante Rubens Bibow, 58, compra legumes em grandes quantidades em sacolões, que são a opção mais econômica. Já as hortaliças, que estragam mais rápido, ele adquire em intervalos menores no mercado de bairro, devido à proximidade. “É mais rapidinho”, justifica.

Disque-economia

Foto: Felipe Rosa

Comprar nos Sacolões da Família e no Nossa Feira saem em média 40% mais baratos que em mercados tradicionais. Foto: Felipe Rosa

De segunda a sexta-feira, a Secretaria do Abastecimento de Curitiba pesquisa diariamente os preços de 302 produtos – segmentados em gêneros alimentícios, material de higiene e limpeza, hortifrúti, carnes e bebidas – em 12 supermercados. Os resultados são divulgados após as 15h. A crise econômica aumentou em 36% a procura dos consumidores pelo serviço: de janeiro a abril deste ano, foram 12.162 consultas – contra 8.957 em igual período de 2015. As consultas podem ser feitas diretamente pelo telefone (41) 3262-6564 ou no site Disk Economia.

Serviço

Sacolões da Família de Curitiba
Consulte locais e horários de atendimento no site da prefeitura, clique em Sacolão da Família

Sacolão da Família de São José dos Pinhais:
Rua Claudino dos Santos, 32, ao lado do Terminal Central. De segunda a sexta-feira, das 8h45 às 19h, e aos sábados, das 8h45 às 13h.

Nossa Feira
Também oferecem artigos de hortifrúti ao preço fixo de R$ 1,99 o quilo as feiras do programa Nossa Feira, da prefeitura de Curitiba. Elas acontecem semanalmente em 15 pontos da cidade. Consulte os dias e locais no site da prefeitura, clique em Nossa Feira

arte_sacolao

Veja o mapa com os endereços dos Sacolões da Família e Nossa Feira:

Sobre o autor

Luisa Nucada

Luisa Nucada

Luisa Nucada é jornalista formada pela UFSC.

Deixe um comentário

avatar

7 Comentários em "Economia no hortifrúti"


JOSE DE PAULA
JOSE DE PAULA
1 ano 4 meses atrás
NOS SACOLOES ESTAO LIBERADO E ABERTOS PARA O POVO EM GERAL , NAO EXISTE CONTROLE COMO CARTEIRUNHA , NAO PRECISA DE NADA DISSO. É SÓ LEVAR DINHEIRO ,POIS SE LEVAR QUALQUER CARTAO NAO CONSEGUE COMPRAR POIS ELES SÓ ACEITAM EM GRANA ……A VISTA …EM DINHEIRO ENETENDIDO….; MAIS UMA VEZ ….EU AFIRMO…..NÃO PRECISA CARTEIRINHA NENHUMA ………EU SÓ PEÇO PARA A PREFEITURA LEVAR ADIANTE ESTE PROJETO QUE AJUDA DEMAIS A NÓS DA POPULAÇÃO POIS COMIDA É O ESSENCIAL PRA SOBREVIVER E DIANTE DA SITUAÇÃO DIFICIL DE TODOS NÓS ESTE TIPO DE NEGOCIO AJUDA E MUITO O POVOV CURITIBANO . PARABENS A PREFEITURA… Leia mais »
fernando rocha
fernando rocha
1 ano 4 meses atrás

Os Sacolões da Família são diferentes dos Armazéns da Família qualquer um pode um comprar. Nos Armazéns da Família ai sim, tem restrição, tem que ter carteirinha, receber entre 1 e 1,5 salário mínimo

Paulo
Paulo
1 ano 4 meses atrás

O que adianta os sacolões da família se são restritos a quem tem carteirinha e recebe 1 salário ou 1,5. Vocês fazem os anúncios como se fosse pra todos.

Regina Biscaia
Regina Biscaia
1 ano 4 meses atrás

Caro Paulo

Os Sacolões da Família são abertos ao público em geral, não necessita carteirinha nem cadastro.

Esses requisitos são apenas para os Armazéns da Família.

Atenciosamente

JOSE DE PAULA
JOSE DE PAULA
1 ano 4 meses atrás
EU SOU FREGUES DESTES SACOLOES. PERTO DE 2,25 O KG DE TUDO ,PODE ENCHER A SACOLA QUE SAI NO LUCRO ,EM RELAÇAO A PREÇOS DE SUPERMERCADO QUE É MUITOCARO ,QUANTO A QUALIDADE É MUITO BOA ,NÃO EXELENTE ,MAS COM CERTEZA DE BOA QUALIDADE.VALE A PENA O POVO COMPRAR EU INDICO ,AQUI NO PORTAO NA PEDRO ZAGONEL TEM DOIS SACOLAO .EU RECOMENDO VALE A PENA . AGORA A PREFEITURA PODERIA LIBERAR MAIS , NOS BAIRROS MAIS DISTANTES ,PODERIA USAR O SISTEMA DE CAMIONETES VAN COM A BARRACA SERIA UTIL PARA O POVAO QUE ESTAO SOFRENDO A PERDA DE RENDA ONDE ATE… Leia mais »
fernando rocha
fernando rocha
1 ano 4 meses atrás

Do jeito que tá o preço das frutas e verduras no mercado, o jeito é comprar no Sacolão da Família. Compra tudo porém com preço mais em conta

MARIA JOSE DE SOUZA
MARIA JOSE DE SOUZA
1 ano 4 meses atrás

Já que o estabelecimento pertence a Prefeitura, favor alguém verificar o layout do local, pois outro dia eu estive no sacolão que fica terminal da Fazendinha. Os funcionários estão sempre mal humorados e colocaram algumas caixas de verduras na frente do único caixa que estava atendendo.
Quando questionei que as caixas estavam em lugar improprio, até porque para as pessoas de mais idade fica difícil colocar as compras em cima do balção, ficaram todos me olhando com cara de deboche.
E as verduras e frutas até tem valor mais em conta, mais a qualidade pelo amor de Deus é de dar dó.

wpDiscuz
(41) 9683-9504