A maturidade emocional é crucial em um casamento. Dela depende, em grande parte, o sucesso do casamento como uma relação que faz bem para ambos os cônjuges e favorece o seu desenvolvimento integral como pessoas. Às vezes, achamos que começar um relacionamento um pouco mais experientes pode ajudar nesse sentido. Nem sempre.

A escritora Nancy Jergins, autora de Wise Words Mom: What to Say to Raise Kids Who Feel Accepted, Confident and Loved (em tradução livre, “Mãe de sábias palavras: o que dizer para criar filhos que se sintam acolhidos, seguros e amados”, confessa que não era tão emocionalmente madura ao se casar, mesmo já não sendo tão jovem. “Eu era ciumenta, crítica, manipuladora”, diz ela em um artigo no site iMom. “Sem maturidade emocional é muito difícil ter um casamento amoroso e estável”. Ela lista cinco características que mostram que a sua maturidade emocional está em dia:

1- Você é cuidadoso ao fazer críticas

Sempre haverá algo em seu cônjuge que incomoda você em algum nível. “O que mostra o nosso nível de maturidade emocional é como lidamos com isso e expressamos o aborrecimento ou a raiva”, explica Nancy. Usar de sarcasmo, de uma linguagem ofensiva e desenterrar questões do passado não é o caminho. Uma pessoa emocionalmente madura sabe que o objetivo de qualquer crítica levantada é ajudar a outra pessoa a ser melhor – e, assim, aponta os problemas de um jeito que o outro realmente sinta que o objetivo é esse.

2- Você está disposto a – às vezes – sacrificar a sua vontade

Num relacionamento, é necessário que, em determinados momentos, deixemos de lado nossos caprichos e até mesmo encaremos uma tarefa dura para aliviar a barra do outro. É como uma dança, em que carregamos um pouco mais do fardo do outro quando ele está exausto – e deixamos que ele carregue parte do nosso quando a necessidade é nossa. Estar disposto a se sacrificar um pouquinho – mas não a viver de sacrifícios – é um sinal de maturidade emocional. “Damos aqui para receber ali. Não de forma manipuladora, mas de um jeito em que nenhum dos cônjuges sente que está apenas dando”, descreve Nancy.

3- Você é gentil mesmo quando seu cônjuge não é

“Mesmo o melhor parceiro perde a cabeça de vez em quando”, reconhece a escritora. “Quando seu cônjuge diz ou faz algo rude, a sua reação inicial pode ser responder na mesma medida. A maturidade emocional exige uma escolha diferente”. Você pode dizer calmamente que se sente ferido quando é tratado assim e que sabe que não merece isso. Responder a grosserias com mais grosserias não leva a lugar algum.

4- Você é emocionalmente estável

“Bebês – e adolescentes – não são emocionalmente maduros, e não se espera que sejam. Quando não conseguem o que querem, se enfurecem. Seus altos e baixos emocionais são extremos”, recorda Nancy. Um adulto emocionalmente maduro não age assim. Mesmo que os ventos não soprem a favor, não toma decisões precipitadas nem descarrega as contrariedades sobre os outros. Não se trata de ser um robô, mas de pensar antes de agir mesmo quando isso exige um pouco mais de nós.

5- Você admite quando está errado

Uma pessoa emocionalmente madura não tergiversa quando precisa reconhecer que está errada. “Frequentemente discuto por pontos dos quais não estou 100% certa. Esse não é um bom sinal – e me levou a situações em que tive que engolir meu orgulho e pedir perdão veementemente”, confessa Nancy. Todos erramos, vez ou outra – e ao embarcar em um relacionamento, precisamos estar conscientes disso, tanto em relação a nós mesmos quanto em relação ao outro. O problema está em não reconhecer as próprias falhas – e não perdoar as do outro.