Com o tempo seco nestes primeiros dias do outono, é comum sentir a coceira garganta pegando, coceira no nariz e até ter mais tosse e espirros. Em outros casos, quem ataca é a rinite. Mas, em tempos de pandemia, é preciso estar atento para não confundir alergias e a rinite com coronavírus. A Associação Brasileira de Alergia e Imunologia (Asbai) fez um alerta para que as pessoas não façam essa confusão e deixa claro que alergia não provoca febre.

LEIA TAMBÉM – Pegou coronavírus? Saiba como agir sem desespero

Doenças como rinite e asmas, segundo a Asbai, costumam ser mais comuns nessa época do ano por causa do ar seco e frio, que irritam as vias respiratórias. As alergias, que causam tosse, espirros, e coceira no nariz e irritação na garganta, não vem acompanhadas de febre. Já no caso do coronavírus, a febre é um dos sintomas mais comuns.

As alergias, como a rinite alérgica, devem ser tratadas por um médico especialista, orienta a associação. O profissional pode prescrever medicamentos como anti-histamínicos com ou sem congestionantes, além de corticoides e broncodilatadores. No entanto, a entidade recomenda as pessoas a não automedicação.

Rinite, gripe, resfriado ou coronavírus?

O Ministério da Saúde divulgou recentemente um material que mostra as principais diferenças entre gripe, resfriado e Covid-19. A febre pode ser um sintoma comum tanto em casos de gripe como de coronavírus. Coriza e nariz entupido acontece com frequência em resfriados, eventualmente em gripes e, em alguns casos do novo coronavírus.

Portanto, em caso de sintomas respiratórios acompanhados de febre, a recomendação do Ministério da Saúde é de isolamento social por 14 dias. Se o mal estar persistir ou vir acompanhado de falta de ar, é necessário procurar uma unidade de saúde mais próxima.

Como prevenir a contaminação por coronavírus

  • Lavar as mãos com frequência/ ou utilizar álcool 70%, principalmente antes de consumir algum alimento;
  • Utilizar lenço descartável para higiene nasal;
  • Cobrir nariz e boca quando espirrar ou tossir;
  • Evitar tocar mucosas de olhos, nariz e boca, higienizar as mãos após tossir ou espirrar;
  • Não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas;
  • Manter ambientes bem ventilados, evitar contato próximo com pessoas que apresentem sinais ou sintomas da doença;
  • Evitar contato próximo com animais selvagens e animais doentes em fazendas ou criações;
  • Pessoas com sintomas de infecção respiratória aguda devem praticar etiqueta respiratória (cobrir a boca e nariz ao tossir e espirrar, preferencialmente com lenços descartáveis, e depois lavar as mãos).

Baixe o guia de prevenção para compartilhar!

Imprima esse guia em PDF com informações sobre a prevenção do Coronavírus e outras doenças respiratórias virais: