Acusado de abusar sexualmente da própria neta, de 5 anos, J.J.P., de 61 anos, foi preso na tarde de terça-feira, em sua casa, no Boqueirão, por policiais do Grupo Especial de Repressão ao crime Organizado (Gerco), vinculado à Promotoria de Investigação Criminal (PIC).

No início de 2003, a menina foi submetida a exame médico escolar, que era exigido para a matrícula, que detectou que havia indícios de abuso sexual. Além disso, foi constatado que a menina apresentava doença sexualmente transmissível (vírus HPV). Os pais conversaram com a criança, que contou que o avô era o autor da violência. Ao ser interrogado, ele negou estar infectado.

No ano passado, J.J.P. foi julgado e condenado a 10 anos e seis meses de reclusão em regime fechado por atentado violento ao pudor, e o juiz expediu mandado de prisão. Apesar de J.J.P. residir no mesmo endereço, ele não foi preso. Após a sentença, o advogado do acusado recorreu e conseguiu reduzir a pena para 7 anos de reclusão em regime fechado.