O rapaz que alegou ter sido sequestrado e obrigado a servir de motorista para três assaltantes, presos em flagrante na terça-feira, foi detido por uso de documento falso.

Irissandro Kemps, 33 anos, considerado pela polícia um dos maiores ladrões de carros de Curitiba, identificou-se com o nome de outra pessoa. Além disto, Irissandro foi reconhecido, ontem, por um delegado, que teve sua casa metralhada pelo marginal, há alguns meses.

Na terça-feira, policiais militares do 13.º Batalhão prenderam Adenildo Guimarães Neto, 40 anos, Ney Fernando Pires da Silva, 30, e José Richard Portes, 23. Os três haviam acabado de roubar R$ 1.700 de uma agência da Rede Cash, correspondente bancário do Banco Popular, na Rua Carlos Dietzsch, Portão. Depois de 10 quilômetros de perseguição, se renderam numa rua sem saída do Campo Comprido.

Irissandro dirigia o veículo e alegou ter sido sequestrado e obrigado a ser o motorista do trio. Os três detidos confirmaram a versão, mas investigadores descobriram que a “vítima” havia se apresentado com documento falso.