O presidente da Câmara de Curitiba, Paulo Salamuni (PV), passou maus bocados no final da noite de terça-feira (27), na frente da casa de sua mãe, no bairro Jardim Botânico. O vereador foi abordado por um rapaz, identificado pela polícia como Guilherme Roberto de Souza Brandão, 18 anos, no momento em que colocava o carro da mãe, um Citroën C3, na garagem.

O ladrão mandou o vereador colocar as mãos para cima, se ajoelhar e levou o carro. Antes de fugir, o bandido pediu que ele o ensinasse a dar marcha à ré no automóvel, que é automático. A vítima chamou a Polícia Militar, que chegou ao local em 15 minutos.

A partir das informações sobre o carro e características do suspeito, os policiais localizaram o veículo, perto das 2h30, na Vila Verde, Cidade Industrial. No local foram detidos Guilherme e Divilmar dos Santos Aleixo, 48 anos, que estava com o revólver calibre 38, usado no crime. De acordo com o delegado-adjunto da Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos (DFRV), José Vítor Pinhão, os dois já negociavam o automóvel.

Facção

Ao ser capturado, Divilmar disse aos policiais militares que faz parte de uma facção criminosa. “Ou ele realmente faz parte da facção ou disse isso apenas para ter moral com os outros presos na cadeia”, disse Pinhão. Por conta disso, a Polícia Civil investiga, além do assalto, a participação do detido na facção. “De qualquer forma, vamos tomar medidas de segurança”, explicou o delegado.

Divilmar tentou enganar os policiais dando documentos falsos. Ele tinha passagens pela polícia e era foragido da Colônia Penal Agrícola. Ele foi indiciado por porte ilegal de arma de fogo e Guilherme vai responder por roubo.