O corpo ficou caído ao lado
do carro que Célio queria vender.

Ao mostrar o carro para um suposto comprador, Célio Antônio Gomes Soares da Trindade, 31 anos, foi morto com dois tiros – na barriga e um na nuca -, às 18h30 de sábado, em frente a um bar da Rua Chile, esquina com a Rua Embaixador Hipólito de Araújo, Prado Velho. O assassino foi descrito por testemunhas à polícia, que trabalha com a hipótese de vingança ou envolvimento com drogas.

Célio deixou o Passat placa ACI-7630, em frente a um bar, e foi beber com dois amigos. Em determinado momento, um homem entrou, pediu um conhaque e puxou conversa com Célio a respeito do veículo, que estava à venda. Depois, eles saíram do estabelecimento para ver o carro, acompanhados de um amigo do vendedor. Célio mostrou as condições do Passat, ligou e desligou o motor, mas quando pensava que fecharia o negócio, foi morto.

Investigação

Segundo o que uma testemunha contou aos investigadores da Delegacia de Homicídios, assim que viu o revólver e ouviu os três tiros ela entrou no bar e não reparou se o assassino fugiu em algum outro veículo. O desconhecido foi descrito como tendo 1,90 m, cerca de 95 kg, de cabelos claros e encaracolados, e vestindo calça jeans, jaqueta azul e vermelha.

Outra informação levantada pela DH é que a vítima seria usuária de drogas e já havia sido detida por causa disso. Esse envolvimento será melhor apurado durante a semana, pela DH, que deve ouvir a família e as testemunhas do crime. Célio era casado e tinha cinco filhos. Ele ganhava a vida comprando e vendendo carros usados, conforme comentários de conhecidos.