Uruguaios acusados de lavagem de dinheiro estão em liberdade

Os uruguaios Rolando e Isidoro Rosembrumm – acusados de envolvimento num esquema de lavagem de dinheiro e evasão de divisas, que fugiram do Hospital Santa Cruz no último dia 2, se apresentaram no último dia 19 à justiça do Uruguai e estão em liberdade. Os dois foram presos na Operação Pôr-do-sol, desencadeada pela Polícia Federal, no ano passado, e estavam internados no hospital, no mesmo quarto, escoltados por policiais militares, de onde escaparam. Os dois embarcaram em um avião e seguiram com destino ao Uruguai.

O advogado dos dois, Edward Rocha de Carvalho, confirmou que seus clientes estão no Uruguai e disse que eles não podem ser extraditados para o Brasil, porque são cidadãos uruguaios. Mas caso os acusados deixem o Uruguai e se dirijam a qualquer outro país, podem ser extraditados. ?Eles fugiram porque têm problemas seríssimos de saúde. Tanto que durante o ano que ficaram presos passaram a maior parte do tempo internados. A fuga ocorreu estritamente por problemas de saúde, já que havia o risco deles retornarem para a prisão comum, o que implicaria em risco de vida?, justificou o defensor, dizendo que não sabe detalhes sobre a fuga de seus clientes. ?Eles não tiveram a intenção de se furtar da justiça brasileira?, acrescentou.

Carvalho ressaltou que, apesar da fuga, Rolando e Isidoro continuaram respondendo o processo no Brasil. ?Sobre o processo não posso falar porque está em segredo de Justiça?, salientou.

Operação

Os uruguaios são acusados de estarem envolvidos num esquema de lavagem de dinheiro e evasão de divisas,  comandado por ex-dirigentes do grupo Sundown (famosa marca de bicicletas). Rolando e Isidoro foram presos juntos com outras oito pessoas, no final de junho do ano passado, sob a acusação de lavagem de dinheiro, evasão de divisas e dívidas fiscais de aproximadamente R$ 150 milhões.

Voltar ao topo