Policiais da 9.º Subdivisão Policial de Maringá prenderam, quarta-feira (13), três suspeitos de diversos roubos de malotes em estabelecimentos comerciais, como lotéricas, bancos e postos de combustível. Marcio Fernando Martins, 23 anos, Hermes Brito Martins Santos, 18, e Juliano Medeiros Lopes, 19, foram detidos depois de ter roubado R$ 5 mil do gerente de uma gráfica. Eles são suspeitos de pelo menos 17 assaltos na região.

Segundo o delegado-chefe da SDP, Marcio Vinicius Ferreira Amaro, na quarta-feira (13), o gerente e um funcionário de uma gráfica foram até um banco no centro da cidade e retiraram R$ 5 mil. “Logo depois eles foram abordados por Santos e Lopes em uma motocicleta Honda CG Titan de cor vermelha. Os dois assaltantes portavam armas de fogo. Antes de fugir, os assaltantes atiraram em direção às vítimas a fim de amedrontá-las para não serem seguidos”, explicou o delegado.

A polícia passou a investigar o caso e descobriu que três homens – dentre eles Santos e Lopes, que abordaram o gerente da gráfica. Eles haviam escondido a motocicleta Honda na casa de Martins, e trafegavam em um Fiat Palio prata. O veículo foi encontrado no pátio de um posto de combustíveis. Martins e Santos se renderam e Lopes empreendeu fuga, invadindo quintais e residências.

Depois de 40 minutos, Lopes foi localizado no quintal de uma casa. Com os suspeitos foram apreendidos dois revólveres, um calibre 38 e outro 32, grande quantia em dinheiro, duas motocicletas – uma Honda CG Titan de cor vermelha e uma Honda XR 250 Tornado de cor preta – , o Palio, munições, capacetes e camisetas usadas nos assaltos.

Martins, Santos e Lopes confessaram dez assaltos em Maringá. Dentre eles, o roubo a uma mercearia no último dia 11, quando atiraram contra um policial civil aposentado que reagiu. Eles foram autuados em flagrante por roubo qualificado.

Segundo o delegado, cerca de R$ 2 mil dos R$ 5 mil roubados já foram recuperados. O dinheiro estava escondido na casa de Martins. “As investigações continuam para localizar as outras vítimas e submeter os assaltantes a reconhecimento”, afirmou o delegado.