Três investigadores da Polícia Civil que atuavam em Colombo foram acusados pelo Ministério Público de corrupção. De acordo com a promotoria, eles teriam se associado para cobrar valores mensais de empresários em troca de “tratamento privilegiado”.

A ação civil pública de improbidade administrativa foi ajuizada anteontem. As investigações foram conduzidas pelo Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), que denunciou os policiais por formação de quadrilha e corrupção passiva. Entre eles está o ex-superintendente da delegacia do Alto Maracanã, Macir José Machado.

Em caso de condenação, podem ser exonerados da polícia e serão obrigados a reparar o dano, pagando multa até cem vezes maior que a remuneração que recebiam, sem contar pena de um a 12 anos de prisão.