Diego foi agredido no beco, até a morte.

Com a cabeça esfacelada, Diego Cassiano Domingues de Carvalho, 15 anos, foi encontrado em um beco na Vila União, que dá acesso à Rua Maria José Soares, próximo à ponte que divide Pinhais do município de Curitiba. O jovem não portava documentos. Ele foi encontrado às 8h da manhã de sábado, mas só foi identificado posteriormente, por familiares. O crime foi cometido por traficantes de drogas, de acordo com policiais da delegacia de Pinhais.

No local poucas pessoas forneceram informações sobre o que poderia ter ocorrido. A moradora de uma casa próxima se limitou a dizer que ouviu gemidos vindos do beco e depois vozes de pelo menos três pessoas diferentes, por volta da 1h da madrugada de sábado. Em seguida, veio o silêncio. A mulher não se atreveu nem a olhar pela janela para saber o que havia acontecido e foi dormir.

Drogas

Horas depois, o jovem foi identificado por familiares e a polícia começou a apurar mais informações que podem levar à elucidação do crime. A primeira delas é que Diego era viciado em crack. O investigador Marçal, que atendeu a ocorrência junto com seu colega Jair, informou que Diego morava com a família na Rua Erasmo Maeder, no Bairro Alto. Viciado em crack, ele freqüentava a Vila União, onde provavelmente adquiria o entorpecente. “Apuramos que ele esteve num bar nas proximidades, na noite de sexta-feira. Próximo ao estabelecimento tem um ponto de tráfico de drogas. Talvez ele foi para lá depois e, como deveria estar devendo para os traficantes, foi morto”, salientou Marçal. Ele adiantou que já tem os nomes de alguns suspeitos, que por enquanto não serão divulgados para não atrapalhar as investigações. (VB)

Outro viciado é assassinado a tiros

A dívida com um traficante da região do Alto Maracanã, chamado Alcione, foi paga por Mateus Santos Moraes, 18 anos, com a própria vida. Ele foi executado com um tiro na cabeça e outro no peito, às 2h30 da madrugada de sábado, na Rua Euclides Bandeira, Vila Guarani, em Colombo. De acordo com a polícia, na madrugada do último dia 22, Alcione assassinou Erick Richardson Rocha, 23 anos, pelo mesmo motivo.

Mateus conversava com mais cinco amigos na rua, quando Alcione se aproximou. Sem dizer uma palavra e sem se preocupar com as testemunhas, o homem sacou o revólver calibre 38 e atirou contra o jovem, que nem teve chance de defesa ou de escapar. Mateus tombou morto e Alcione seguiu seu caminho a pé.

O superintendente Job de Freitas, da delegacia do Alto Maracanã, informou que Alcione já estava sendo procurado pela polícia por outro homicídio. “Temos que apanhar este homem, antes que ele tire outras vidas”, disse o policial. As investigações apontam que Alcione é um grande traficante da Vila Guarani e costuma aterrorizar viciados que não pagam a dívida. “Estamos trabalhando para colocar este sujeito atrás das grades”, salientou Job.

Outro

Erick Richardson foi assassinado na madrugada do dia 22 de agosto. O rapaz era foragido da polícia de Minas Gerais e estava envolvido com o tráfico de drogas. Ele teria recebido ameaças de morte em Belo Horizonte (MG) e para salvar a vida do filho, a mãe de Erick mandou-o morar com a avó, no Mato Grosso, onde ficou pouco tempo. Depois preferiu se mudar para Colombo e morar com amigos, quando então foi assassinado.