Homens que ocupavam um Astra executaram uma conhecida traficante do centro de Curitiba. Marli Celestina Cazilio Silva, 42 anos, a “Polaca”, foi baleada na frente de várias testemunhas, na Rua Cruz Machado, zona de prostituição da capital, às 3h30 de ontem. No final da madrugada, o corpo crivado de balas seria localizado na estrada da Colônia Augusta, a um quilômetro da rodovia do Contorno Sul.

Há alguns dias, ocupantes deste mesmo Astra escuro dispararam em direção a um grupo de pessoas – entre elas, “Polaca” -, também na Rua Cruz Machado. Ninguém foi atingido. Ontem, porém, os assassinos voltaram dispostos a não falhar novamente.

Houve muita violência, conforme relato de testemunhas. Os autores desceram do Astra distribuindo coronhadas a quem estivesse ao lado de Marli. Tiros foram disparados, atingindo a traficante e a perna de outra mulher, identificada apenas como Ângela. Ferida, Marli foi colocada dentro do carro pelos matadores.

Cerca de uma hora mais tarde, um morador da Colônia Augusta escutou tiros e viu um carro escuro – cujo modelo não soube precisar – saindo em alta velocidade. Minutos depois, o homem encontraria o corpo de “Polaca”, com oito perfurações de bala. Projéteis de pistola calibre ponto 40, arma de uso restrito das Forças Armadas, estavam junto ao cadáver.

Mãe de duas filhas, “Polaca” morava no Bairro Alto e teve várias passagens, por tráfico de drogas, em delegacias de Curitiba. “Sabíamos que ela continuava agindo no centro. Havia uma investigação em andamento para tentar pegá-la em flagrante”, disse o superintendente Vanderlim, da Divisão de Narcóticos, onde ela fora autuada por porte de entorpecente, em 2003. A disputa por pontos de revenda de droga é a principal hipótese do assassinato.