Um traficante que comprou droga mofada resolveu reclamar com seu fornecedor justamente na hora em que policiais civis do Núcleo Metropolitano da Divisão Estadual de Narcóticos (Denarc) faziam campana, na tarde de quarta-feira, em frente à casa dele, no São Lourenço. O adolescente de 17 anos, morador da casa, foi detido ao lado de Rafael Cassabe, que comprou a droga “vencida”. Além deles, uma garota foi presa por esconder 16 quilos de maconha em seu quarto.

Segundo o delegado Guilherme Rangel, Rafael comprou meio quilo do adolescente, mas se deu conta que ela estava velha, com uma consistência estranha, como bolacha recheada mole. Para não fazer feio diante de seus clientes e vender um produto de qualidade, Rafael decidiu reclamar com o fornecedor como se fosse um Serviço de Atendimento ao Consumidor (SAC) do tráfico. Ele então foi até a residência do adolescente para trocar a maconha. “Ele pagou mais R$ 350 para levar ao todo um quilo da droga em melhores condições”, disse o delegado.

Os policiais deram voz de prisão e acabaram pegando a transação no ato, que foi inusitada até para o delegado. Além da droga quilo apreendido com Rafael, na residência havia mais 16 quilos de erva embaladas para a venda no quarto de Raichane Silva de Oliveira, 21, que também foi presa.

Segundo o delegado, os dois maiores vão responder por tráfico e associação para o tráfico. O menor foi encaminhado para a Delegacia do Adolescente.

Foz

As investigações apontam que o adolescente trouxe a droga de Foz do Iguaçu para revender em Curitiba. Segundo o delegado, Rafael costumava traficar na região do São Lourenço e Abranches. Com o trio, foram apreendidas notas de real e uma no valor de 10.000 guaranis, moeda do Paraguai, uma balança de precisão, celulares e uma motocicleta Honda CBX 750, que estava na garagem da casa do adolescente.

Rangel destacou a inusitada situação, em que os comerciantes de drogas acabam até criando um 0800 do tráfico. “A maconha não estava nas melhores condições e o traficante aceitou trocá-la para não perder o cliente. Felizmente chegamos rápido e agora eles vão responder seus crimes perante a Justiça”, afirmou.