Policiais da Delegacia Móvel de Atendimento ao Futebol e Eventos (Demafe) seguindo a determinação da 2ª Vara Criminal de Curitiba realizaram quatros prisões preventivas e cumpriram seis mandados de busca e apreensão na manhã deste sábado (25). Os presos são torcedores ligados à Torcida Organizada do Coritiba e a um violento grupo dissidente da própria Império Alviverde, conhecido como “Bonde do Terror”, que faria oposição a atual diretoria da torcida.

Foram presos em casa pelos policiais por volta das 6h: Felipe Luan dos Santos Sckreurs, de 25 anos, Yohan Sutil de Oliveira, 20 anos, Medley Lucas Lopes de Aristides, 18 anos, e Alisson Teixeira da Cruz, 24 anos. Além deles, Heuller Herinson Camargo, 20 anos, também teve sua prisão decretada, mas como não foi encontrado pela polícia, já é considerado como foragido.

Heuller Herinson Camargo, preso em fevereiro, está foragido. Foto: Felipe Rosa/Arquivo.

Estas prisões e a apreensão de diversos computadores, celulares, tablet e arquivos de mídia fazem parte de um desdobramento da “Operação Bonde do Terror I”, realizada em 20 de fevereiro deste ano. Na época, os quatro jovens que foram presos hoje e outros cinco rapazes, foram detidos por estarem envolvidos em confrontos com torcedores de times rivais. Eles ficaram fora de circulação por cinco dias após a prisão temporária e depois ganharam a liberdade. Mas ao terem seus rostos divulgados, foram reconhecidos por pelo menos seis vítimas que se apresentaram à delegacia, relatando terem sido agredidas e roubadas por eles, que levavam as camisas das vítimas como uma espécie de troféu.

Depois das primeiras prisões, a polícia seguiu com as investigações que resultaram na segunda fase da operação, coleta de provas e na nova detenção dos envolvidos, desta vez com a prisão preventiva decretada. A operação “Bonde do terror II” também tem como objetivo prevenir possíveis tumultos na final Campeonato Paranaense, com o jogo entre Coritiba e Operário marcado para amanhã.

Torcedor é preso por brigas e roubos. Foto: Felipe Rosa.

De acordo com o delegado titular da Demafe Clóvis Galvão Gomes eles seriam os responsáveis por diversos crimes como roubo, agressão, associação criminosa, formação de tumulto e danos ao patrimônio público e privado. “Com as apreensões, provas materiais e testemunhais foi confirmado os crimes que vinham sendo investigados. Agora eles devem agradar presos até o julgamento”.

O delegado ainda afirmou que estas ações que combatem a violência serão frequentes. “Aqui no estado do Paraná a violência esportiva será combatida incessantemente. Quem aprontar, seja dentro do estádio, nos arredores ou em outros locais vai para a cadeia” assegurou.

Quatro torcedores foram presos neste sábado (25). Foto: Felipe Rosa.