Ao reagir a um assalto, o sargento Emerson Ribeiro Krone, 30 anos, do Batalhão de Polícia de Trânsito (BPTran), trocou tiros com dois marginais e acabou matando um deles, às 12h20 de ontem, no Santa Helena, bairro Fazendinha. Com dois tiros no peito e um de raspão nas costas, o jovem ainda tentou escapar embarcando na garupa da motocicleta pilotada por seu comparsa, mas alguns metros depois, caiu morto. O outro assaltante fugiu.

Emerson saiu pela manhã para vender a motocicleta. Após negociar o veículo por R$ 4 mil, ele retornou para casa de ônibus. Quando caminhava pela Rua Nelson Luiz Wolski Velloso, no cruzamento da Rua José Batista dos Santos, dois criminosos ocupando uma motocicleta se aproximaram e deram voz de assalto. Um dos ladrões pegou no braço do policial e deu a ordem: "passe o dinheiro". Ao invés de entregar a quantia, Emerson sacou a arma e trocou tiros com o marginal. Ferido, o ladrão deu alguns passos e embarcou na motocicleta

GG-125, onde estava o companheiro, e os dois deixaram o local em alta velocidade. Após trafegarem por 100 metros, o ladrão caiu morto no cruzamento da Rua Nelson Wolski Velloso com a Rua Raul Pompéia. Ao lado do corpo, estava o revólver calibre 38, que ele utilizou no crime. Seu comparsa o abandonou no local e fugiu.

A perita Jussara Joelcker, do Instituto de Criminalística, informou que o tiro nas costas foi de raspão. "Há duas perfurações no peito, uma do lado direito e outra do esquerdo", relatou Jussara. O ladrão, que não possuía documentos, tem uma tatuagem de um castelo no lado direito das costas e, do lado esquerdo, outra simbolizando a morte. O corpo foi removido ao Instituto Médico-Legal (IML), onde permanecia sem identificação até a tarde de ontem.

Investigações

Os investigadores Casa Grande e Giovanio, da Delegacia de Furtos e Roubos, estiveram no local da ocorrência, mas conseguiram apurar poucos detalhes da motocicleta e do bandido que fugiu. O delegado Rubens Recalcatti, titular da DFR, informou que está trabalhando para identificar os assaltantes. Ele acredita que a dupla possa ter praticado outros roubos.