Dois homens suspeitos de serem os autores da morte do taxista Lauro de Oliveira Cesário, 63 anos, assassinado no dia 2 de outubro de 2012, no bairro Botiatuva, foram presos na tarde de quinta-feira. Sidnei Reginaldo Pereira, 44 anos, conhecido como “Padeiro”, e Fernando Ramos da Silva, 30, o “Rato”, foram indiciados pelo crime e aguardam decisão judicial na cadeia do município.

De acordo com a delegada titular de Campo Largo, Gisele Mara Durigan, na casa de Sidnei foi localizado um revólver calibre 38, que foi encaminhado ao Instituto de Criminalística. Será feito um confronto balístico da arma, com o projétil retirado do crânio da vítima. “Os dois negaram o crime. Curioso é que Sidnei afirma inclusive desconhecer a ocorrência do crime praticado contra o taxista, fato esse que causou grande repercussão e clamor popular no município de Campo Largo. Foi um crime bárbaro com requintes de crueldade”, falou a delegada.

O taxista, que estava parado no ponto em frente ao terminal urbano, no centro da cidade, foi chamado por um homem para fazer uma corrida. Cerca de duas horas depois, Lauro foi encontrado morto e carbonizado dentro do porta-malas de seu carro, em uma plantação no bairro Botiatuva. “Os dois foram presos depois de ouvirmos diversas pessoas, fazermos um retrato falado e principalmente investigação, que relacionou os dois com o crime”, completou a delegada.