Foto: Átila Alberti
Lucas, Zoila e Jaime foram presos.

Depois de seqüestrar e agredir três pessoas, ontem à tarde, no Tatuquara, Lucas de Lima Machado, 20 anos, Jaime Galette Fernandes, 24, e Zoyla Pereira de Souza, 43, foram presos por policiais militares do 13.º Batalhão. A prisão só foi possível porque uma das vítimas conseguiu escapar e, na fuga, deparou-se com uma viatura da polícia. Dois bandidos conseguiram escapar e estão foragidos.

Ainda não se sabe os motivos do seqüestro e das agressões.

?A versão dos detidos é que, quando compraram drogas das vítimas, teriam sido enganados. Em vez de crack, teriam recebido sabão?, contou o delegado Erineu Portes, do 13º Distrito Policial. De acordo com a polícia, será levantado se o seqüestro era apenas uma retaliação ou se os bandidos pretendiam manter as vítimas reféns.

A ação dos marginais começou por volta das 15h30, quando eles abordaram três homens dentro do Vectra placa DBK-9473, na Rua Jahyr Dittrich, Vila Osternack, no Sítio Cercado. Os bandidos colocaram um dos homens, amarrado, no porta-malas do veículo e ordenaram aos outros dois que fossem para o banco traseiro. Em seguida, os marginais, que estavam em um Palio, conduziram os carros até a casa de Zoyla, em Terra Santa, Tatuquara.

De acordo com os policiais, dentro da residência, começaram as agressões. ?Bateram com bastão, deram pauladas e coronhadas nas vítimas?, disse o tenente Verner. Enquanto os bandidos amarravam duas das vítimas no banheiro de um quarto, a outra conseguiu fugir. ?Realizávamos uma operação no Tatuquara, quando um rapaz veio correndo em nossa direção, dizendo que ele e dois amigos haviam sido seqüestrados.?

Ao chegar no local, a polícia deteve Lucas, Jaime e Zoyna, mas outros dois escaparam.

De acordo com o tenente, um dos que fugiu vestia a camisa do time do São Paulo. As agressões foram tantas que uma das vítimas foi encaminhada ao Hospital do Trabalhador, onde foi internada em coma. Na casa, também foram encontrados e apreendidos um revólver 38 e uma pistola 765. Além disso, havia informações de que eles portavam outra pistola, que não foi localizada. Nenhum dos detidos apresenta passagens pela polícia, assim como as vítimas da agressão.