A Delegacia de Homicídios não tem pistas dos autores de seis assassinatos que aconteceram no fim de semana. O superintendente Miguel Gumiero informou que as equipes estão nas ruas, mas que ainda não há novidades nas investigações. “90% dos crimes estão relacionados ao tráfico de drogas”, salientou o policial. “É necessário fazer um trabalho de investigação. Muitas vezes as pessoas não denunciam logo após o crime, mas posteriormente fornecem informações que ajudam na elucidação”, argumentou.

Bar

Antônio Carlos da Maia, 36 anos, levou um tiro no peito quando estava dentro de um bar, na Rua José Fabiano Barcik, no Cajuru, às 16h de sábado. Um veículo Gol, de cor branca, passou pelo local e efetuou um único disparo, em direção ao bar, que acertou a vítima. “Apuramos que este carro foi tomado em assalto na tarde de sábado, por três indivíduos”, informou Gumiero. Segundo o polícia, há possibilidade de o disparo não ter sido endereçado para Antônio Carlos.

Nove tiros

Leandro Bispo Dias, 30 anos, foi executado com nove tiros no peito às 21h20 de sexta-feira, na Rua José Torres Neto, Cidade Industrial. A única pista é que os autores são dois homens que ocupavam uma motocicleta CG-125, de cor escura. No local se aventou a possibilidade do crime ter sido motivado por drogas, já que a vítima tinha passagem por uso de entorpecentes no 1.º Distrito Policial (centro).

Outro crime que também pode ter o tráfico de drogas por trás é o assassinato de Marcelo Fernandes de Oliveira, 23, que aconteceu à 1h30 de sábado. De acordo com levantamentos feitos pela polícia, além de ser viciado em drogas, o jovem também costumava cometer pequenos furtos.

Festa

É mistério a morte do pintor Marcos Henrique Santos, 24. O crime ocorreu às 2h50 de domingo, na Rua Estanislau Wildner, esquina com a Rua Wilson Dacheux Pereira, no Alto Boqueirão. As informações preliminares davam conta de que autor e vítima estavam em uma festa. A DH também tenta identificar o assassino de Júlio Aleandro Medrado Vieria, 24, morto com quatro tiros, na tarde de domingo, dentro de um bar, Cidade Industrial.

Também está sendo aguardada a identificação do andarilho assassinado no Prado Velho, às 2h de domingo.