Marcos Paulo e Paulo Roberto,
flagrante no DFRV.

Uma casa usada para falsificar documentos foi “estourada” por policiais da Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos e policiais militares, no sábado. A polícia chegou até o local, após um ladrão de veículos ser preso em flagrante e trocar tiros com policiais da Ronda Ostensiva de Natureza Especial (Rone). Paulo Roberto Pires de Lima, 42 anos, foi autuado em flagrante por receptação e falsificação de documentos. Seu cúmplice, Marcos Paulo Camargo, 28, foi autuado por roubo. Na casa de Paulo a polícia apreendeu R$ 850,00 em notas falsas, um revólver calibre 38, um Corsa e vários documentos falsificados. O carro roubado também foi recuperado.

Policiais da Rone estavam em patrulhamento pelo bairro Portão, às 22h de sábado, quando foi passado o alerta que o Renault placa AOJ-3800 havia sido roubado por um homem armado de revólver. Minutos depois, os PMs viram o carro trafegando pela via rápida centro/bairro. Houve perseguição e o marginal bateu o carro em uma mureta, em frente a uma pizzaria,na Avenida República Argentina. Cercado, o bandido baleou o soldado Ismael. Em seguida, Marcos invadiu a pizzaria e fez um funcionário refém. A munição do revólver acabou e ele se entregou, sendo conduzido à Delegacia de Furtos e Roubos de Veículos, onde foi reconhecido pelas vítimas do roubo do Renault.

Documentos

O delegado Hamilton Cordeiro da Paz, titular da DFRV, informou que Marcos confessou que o Renault havia sido encomendado por um homem chamado Paulo Roberto, que faria a troca do carro por uma pistola. Paulo morava na Rua Reinaldo Bonat, n.º 178, Jardim Campo Alegre, na Cidade Industrial. Com o endereço, os policiais se dirigiram até a casa e o prenderam em flagrante. Em um dos quartos da casa havia um computador ligado e a tela exibia a documentação de um veículo. O mesmo documento também foi encontrado impresso, dentro de uma gaveta, junto com 17 notas falsas de R$ 50,00. “Um programa no computador possibilitava a falsificação de diplomas, documentos de veículos, carteiras de habilitação, identidades e uma infinidade de outros documentos. O falsário possuía até mesmo papel de segurança”, comentou o delegado. Ele acredita que Paulo passava esta documentação falsa para outros golpistas.

Também o Corsa placa AKX-6613, com suspeita de adulteração, foi apreendido na casa. Já a pistola que seria dada a Marcos Paulo, em troca do Renault, não foi localizada.

Interrogatório

Paulo Roberto alegou à polícia que comprou o Corsa, na “pedra” da Fazendinha, de um homem chamado Júlio, pagando R$ 10 mil. Ele também disse ser de Júlio toda a documentação falsificada apreendida na casa. Apesar disso, alegou que não sabe o sobrenome, o telefone nem o endereço do indivíduo. O único ilícito, assumido por Paulo, foi o dinheiro falso. De acordo com o seu depoimento, o dinheiro seria proveniente da venda de um terreno.

O delegado Hamilton informou que as investigações continuam para identificar e prender outros envolvidos com a dupla. “Não sabemos se o nome fornecido pelo Paulo Roberto é verdadeiro porque ele tinha duas identidades com este nome e fotografias diferentes. Também estamos apurando se o nome do Marcos é verdadeiro”, salientou. Ele disse que as investigações sobre a falsificação serão realizadas pela Delegacia de Estelionato e desvio de Cargas. Ele acredita que Marcos roubava os carros e Paulo falsificava os documentos para revendê-los. Hamilton solicitou às pessoas que reconhecerem os presos para que entrem em contato com a DFRV, através do telefone 329-6744.