Ao chegar no 9.º Distrito Policial (Santa Quitéria) para registrar uma ocorrência de roubo, uma professora viu o marginal em um estabelecimento comercial em frente da delegacia. A mulher avisou os policiais, que tentaram prender Marcelo Nunes Voegel, 27 anos, e o balearam na barriga. Na tentativa de escapar, Marcelo ainda deu um soco no rosto do investigador, abrindo seu supercílio, e quebrou um dos dedos da mão. Foi encaminhado ao Hospital do Trabalhador – permanece internado – e autuado em flagrante por roubo. O fato aconteceu no último dia 30, mas ontem a tia de Marcelo, Maria de Lourdes Nunes, procurou a Tribuna para denunciar a ação policial. "Meu sobrinho não deve nada", garantiu a mulher.

Roubo

O delegado Alcimar Garret, titular do distrito, contou que por volta das 7h daquela terça-feira, a professora estava nas proximidades do Shopping Água Verde, quando teve a bolsa roubada por dois homens. Por volta das 8h, a mulher foi até a delegacia para comunicar o crime à polícia. Coincidentemente, Marcelo foi acompanhar a namorada até o distrito, onde ela iria retirar uma segunda via de seus documentos.

Porém, quando saía com o boletim de ocorrência nas mãos, a professora viu Marcelo. Reconhecendo-o como autor do crime, ela comunicou os investigadores, que saíram em busca do rapaz.

Ao ver os policiais, Marcelo correu, invadiu uma casa, lutou com o investigador e foi contido com um tiro na barriga. Ele estava de posse de objetos da professora e foi preso em flagrante. "Ele saiu recentemente do sistema penitenciário e já tem passagens por roubo e furto", relatou ao delegado, dizendo que Marcelo permanece no hospital, pois ainda não há vaga no Complexo Médico Penal, em Piraquara.