Depois de passar 11 dias em cativeiro sem saber por que motivo, dois amigos puderam voltar para casa. Jeferson da Silva, 24 anos, e Ozeias Troi, 23, estavam desaparecidos desde a noite de 25 de novembro, quando saíram para comprar um porco.

No início da madrugada de sexta-feira (6) eles foram abandonados na BR-116, no Campo de Santana, e pediram ajuda em um posto de combustíveis. Os funcionários ligaram para a Polícia Militar. “Eles disseram que não conseguem identificar as pessoas que fizeram isso com eles porque foram levados no porta-malas e foram mantidos vendados”, explica a tenente Baldan, do 13.º Batalhão da PM. Familiares buscaram as vítimas, que foram medicadas, pois apresentavam escoriações, e prestaram depoimento na delegacia de Almirante Tamandaré.

Muito emocionado, com a barba crescida, Jeferson contou que lanchava com o amigo na segunda-feira no bairro Cachoeira, em Almirante Tamandaré, antes de ir comprar o porco, quando os dois foram abordados por pessoas portando armas longas, em um Astra preto. Os marginais os sequestraram e colocaram sacos na cabeça das vítimas. O carro em que os amigos estavam foi abandonado e recuperado pela polícia dois dias depois.

Água

Os dois ficaram mais de duas horas no porta-malas até chegar ao cativeiro, onde apanharam e foram questionados várias vezes sobre a morte de um rapaz em Colombo. “Eles diziam que nós matamos um parente deles, mas não sabemos de nada”, alega Ozeias. No primeiro dia, eles receberam apenas água. Do segundo dia em diante, duas pessoas entravam para deixar comida para os reféns. Jeferson e Ozeias só foram liberados depois que um rapaz, ferido no mesmo local do suposto homicídio, recebeu alta e não reconheceu nenhum dos dois. Foram mais duas horas no carro até serem deixados na beira da rodovia, perto do limite com Fazenda Rio Grande.

“Quero comer o porco que ia comprar com o meu amigo e comemorar, porque nascemos de novo. Achei que ia morrer”, conta Jeferson.

Investigação

O delegado Hertel Rehbein diz que a versão dos rapazes tem vários pontos a serem confirmados. Ao longo da semana, antes deles serem abandonados, três denúncias de cativeiro onde eles poderiam estar foram verificadas pelos policiais. Segundo o delegado, Ozeias conhecia o irmão de Patrick Vaz, 34 anos, assassinado com a esposa Ana Paula de Souza Moretti, 31, em 24 de novembro, no Jardim Roma, em Almirante Tamandaré. “Ozeias esteve na casa onde aconteceu o crime para ajudar a retirar os pertences do Patrick, porque a casa era alugada e o proprietário pediu que ela fosse desocupada”, conta Hertel.