Foto: Alberto Melnechuky

Ediclei conversava com um amigo, quando três desceram de um Astra e atiraram.

Ediclei de Almeida recebeu mais de 25 tiros, três dias antes de completar 28 anos. Ele foi fuzilado, quando conversava com um homem em frente a uma mercearia, na Rua Doutor Laurindo Abelardo de Brito, Boqueirão, às 20h30 de ontem. A pessoa com quem Ediclei conversava foi ferida, mas fugiu sem ser identificada. No local, foram recolhidos aproximadamente 50 cápsulas, calibre 380 e nove milímetros.

Testemunhas informaram, à polícia, que Ediclei e o outro homem conversavam, quando encostou um Astra, branco, ocupado por quatro pessoas. Três delas desembarcaram com pistolas em punho e começaram a atirar, sem nada dizer.

Desfigurado

Foram disparados mais de 100 tiros. O perito Amyr Cassou Júnior, do Instituto de Criminalística, contou 25 disparos no corpo da vítima, principalmente nas costas, na cabeça, no peito e no rosto. Ediclei ficou desfigurado. ?Acredito que tenha mais ferimentos. Vamos contá-los com mais precisão no Instituto Médico-Legal?, avisou Amyr.

Nas costas, na nuca e na cabeça foram contados 19 tiros. Próximo ao corpo e embaixo dele, o perito recolheu 50 cápsulas. Mas havia mais, já que alguns populares recolherem os projéteis do chão, para levar de ?lembrança?. Quando a imprensa chegou, um garotinho exibia cinco cápsulas e avisou: ?Tem bastante!?.

Drogas

O tenente Rodrigo Brito, do 20.º Batalhão da Polícia Militar, disse que os policiais realizaram buscas pelo bairro na tentativa de localizar o ferido, mas não obtiveram êxito. ?Provavelmente ele dará entrada em algum hospital?, comentou. Brito acredita que o crime tenha sido motivado pelo tráfico de drogas, devido à violência empregada pelos criminosos. ?Aqui é um ponto de venda de drogas conhecido. Temos várias denúncias desse local. Inclusive já efetuamos algumas prisões aqui?, comentou o tenente. O caso será investigado pela Delegacia de Homicídios.