Foto: Walter Alves
Alexandre: pena por furto.

Está atrás das grades um dos suspeitos de envolvimento com a morte de Dayana Cordeiro de Souza, 16 anos – filha do major Sérgio Cordeiro de Souza, na época subcomandante do 13.º Batalhão da Polícia Militar -, em junho do ano passado. Alexandre Bueno, 24 anos, foi localizado e detido no início da tarde de terça-feira, entre a multidão que assistia ao trabalho da perícia, em um homicídio ocorrido no Pinheirinho. Ele foi conduzido à Delegacia de Homicídios (DH), pois havia um mandado de prisão contra ele.

O delegado Jaime da Luz explica que o caso está esclarecido desde novembro do ano passado, quando os três autores e o mandante do crime foram identificados. A polícia busca, agora o outro assassino e o mandante do crime, que estão foragidos. O terceiro autor do assassinato, Thiago Vinícius Gonçalves, foi morto quatro dias depois de Dayana, ao tentar assaltar uma panificadora, no Pinheirinho.

Alexandre negou ter participado do crime, dizendo que nem estava no bairro no dia em que a estudante morreu. ?Eu estava na casa da minha namorada e tenho como provar isso. Fazia dois meses que eu tinha saído do sistema (penitenciário), estava tentando me arrumar na vida?, afirmou o suspeito, que ficou detido cerca de um ano por furto. Alexandre também alegou que não conhecia Dayana e o namorado dela, Emerson Antônio da Silva.

Crime

Dayana foi morta por volta das 20h30 de 23 de junho de 2006, quando saía de casa para ir ao encontro de amigos. Três jovens, cada um em uma bicicleta, abordaram a estudante e um deles atirou contra ela, com uma pistola 380.

Segundo depoimentos prestados na DH, Dayana foi morta como vingança a outras duas execuções, que ocorreram dias antes naquele bairro. Dias depois do assassinato da estudante, Thiago foi morto. A polícia investiga a possibilidade de outros crimes terem ligação com a execução de Dayana.