Sidnei Gregório de Souza, o “Carneiro”, 20 anos, foi brutalmente assassinado no final da noite de quinta-feira e desovado, durante a madrugada de ontem, em um terreno no bairro Tarumã. Numa possível vingança, ele foi asfixiado com um cachecol e tinha uma sacola plástica cobrindo a cabeça.

Além disso, suas pernas estavam presas por uma cinta e havia sinais de agressão na cabeça, costas e peito. O corpo foi encontrado pela manhã, por moradores da Rua Alexandre de Gusmão, próximo à esquina com a Rua Monte Castelo.

Os policiais Henrique e Airton, da Delegacia de Homicídios, verificaram que o rapaz não foi morto naquele local. “Como havia marcas de pneus no terreno, desconfiamos que o corpo foi trazido no porta-malas de um veículo”, disse Henrique.

O perito Silvestre, do Instituto de Criminalística, avaliou que o jovem foi torturado e morto no final da noite de quinta-feira. Horas depois, foi abandonado no terreno. “Ele morreu por asfixia, mas também levou pancadas na parte de trás da cabeça, nas costas e no peito”, relatou. Depois foi enrolado em um cobertor e desovado.

Vingança

Familiares do rapaz estiveram na DH e contaram que, há até duas semanas, Sidnei morava em Fazenda Rio Grande. Mas se mudou e desde então residia com a irmã, em Colombo. Ele já tinha antecedentes criminais por roubo.

Na companhia de comparsas assaltavam ônibus em Fazenda Rio Grande. Foi preso e atualmente respondia o crime em liberdade. A polícia acredita que o rapaz foi morto por vingança.