A internet ajudou a Delegacia de Homicídios a localizar o gesseiro Isac Moreira Santos, o “Mineirinho”, 21 anos, suspeito de ter participado do assassinato do companheiro de sua mãe. Arion Cesar Foerster Filho, 36, conhecido por “Peron”, foi encontrado carbonizado, mas o detido nega ter cometido o crime. Isac afirma que deu apenas um “mata-leão” para imobilizá-lo, porque Arion agredia sua mãe, Elizamar Moreira dos Santos Nunes, 45. O homem foi morto em dezembro de 2010, no Alto Boqueirão, e em setembro do ano passado a foto de Isac foi divulgada pela polícia. Com seu rosto circulando pela internet, a polícia recebeu denúncias sobre o paradeiro dele, na periferia de Governador Valadares, em Minas Gerais. Isac foi preso na sexta-feira pelos investigadores Carlos Henrique e Luzi Sidenes, coordenados pelo delegado Jaime da Luz, com o apoio da polícia mineira.

Casal

Arion, filho de um servidor da Casa Civil do Paraná, e Elizamar passaram a morar juntos assim que se conheceram. Os dois, segundo a polícia, usavam a casa alugada pelos pais de Arion para consumir drogas com outros usuários. O filho mais velho de Elizamar, Fred, foi preso suspeito de cometer roubo dois dias antes do homicídio. Em seu interrogatório, ele disse que o padrasto costumava agredir sua mãe constantemente.

De acordo com o delegado Rubens Recalcatti, titular da DH, a relação entre Arion e Elizamar sempre foi conturbada. Isac conta que Arion e sua mãe estavam juntos há cerca de seis meses. No dia do crime, ele foi até a casa de sua mãe para visitá-la. “Cheguei do trabalho e o vi batendo em minha mãe. Depois veio bater em mim. Eu o imobilizei para me defender. Não sei de nada sobre corpo queimado. Minha mãe já havia me dito que estava sendo oprimida por ele”, contou o rapaz. A polícia vai investigar quem ateou foto na vítima. “Ele é um rapaz trabalhador e agora vamos aguardar se terá sua prisão solicitada ou responderá em liberdade”, disse o delegado.