Ação simultânea da Polícia Federal no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina, denominada Operação Ouro Verde, prendeu 36 pessoas ligadas a um sistema bancário paralelo, com tentáculos no Paraná, Uruguai, Estados Unidos, China e diversos paraísos fiscais. Os investigadores concluíram que o esquema era operado por diretores da agência de viagens Roger Tur, de Jaraguá do Sul (SC), e da financeira Portocred, de Porto Alegre (RS), e tinha como clientes empresários importadores e exportadores de pneus, têxteis e calçados.

O esquema pode ter movimentado R$ 5 bilhões nos últimos 20 anos. O grupo oferecia quase todos os serviços bancários, inclusive manutenção de conta corrente e investimentos abastecidos com dinheiro de caixa 2 de empresas, compra e venda de moeda estrangeira e remessa de valores para o exterior por meio de canais financeiros ilegais.

No Paraná, policiais cumpriram mandado de busca e apreensão na empresa de pneus Cronnus, em Araucária. No local foram apreendidos cinco computadores e diversos documentos que mostram a movimentação fiscal da empresa. Ninguém foi preso. De acordo com a PF, a Cronnus é suspeita de ter praticado diversos delitos, como sonegação fiscal, fraude e subfaturamento, e pode ser uma das 30 ?clientes? da Roger Tur.