Sob a acusação de abusar sexualmente de um garoto de 9 anos, um professor de Economia da Universidade Federal do Paraná (UFPR) foi detido em flagrante, na terça-feira passada, dentro do estacionamento de um shopping de Curitiba. Ele teria sido levado ao Núcleo de Proteção à Criança e ao Adolescente Vítimas de Crime (Nucria), onde foi interrogado e ficou detido. Três dias depois, ele foi solto através de habeas corpus, conforme mostra a documentação do processo no site do Tribunal de Justiça do Paraná.

A delegada Ana Cláudia Machado, titular do Nucria, foi procurada ontem para esclarecimentos sobre a prisão. Policiais informaram que a delegada estava numa reunião externa, e por isso não estaria respondendo nem aos chamados pelo celular. Mesmo assim, a reportagem conseguiu, junto à superintendência do núcleo, a confirmação de que o caso realmente foi recebido pelo Nucria na semana passada. Detalhes sobre a prisão e seus motivos não foram esclarecidos pela superintendente.

Universidade

A assessoria de imprensa da UFPR diz que a instituição não recebeu nenhuma informação oficial sobre a ocorrência. Apenas sabe que existe um processo contra o professor, e que o mesmo está correndo em segredo de Justiça e, por isso, não sabe a motivação de o professor ter sido preso. A assessoria confirma que o professor solicitou ontem uma licença, alegando necessidade de um tratamento de saúde. Hoje, confirmou a assessoria, a direção do setor onde o professor dá aulas deverá contatar a procuradoria da UFPR. A diretoria irá buscar orientações sobre como proceder, quando o processo chegar oficialmente ao conhecimento da universidade.

A assessoria do shopping, onde o professor teria sido preso, também foi procurada, porém, até o fechamento desta edição, não forneceu nenhum posicionamento. Os diretores do shopping, alegou a assessora, estariam em Florianópolis. O advogado que conseguiu o habeas corpus para o professor também foi procurado pela reportagem. Hugo Zanellato alegou que já não é mais o defensor do professor, e por isso preferiu não comentar o caso.

Esclarecimento ao Paraná-Online:

Diferentemente do que informa a matéria intitulada "Professor de Economia da UFPR é detido por abuso sexual", publicada na edição de hoje (dia 17/4) do site Paraná On Line, esclarecemos que:

1) O professor da UFPR José Luís da Costa Oreiro não é acusado de abuso sexual;

2) O professor responde a processo criminal que tramita sob segredo de justiça e a vítima em questão não é uma criança de nove anos, conforme informa a matéria.

Arns de Oliveira Andreazza & Polak Advogados Associados.