O promotor de festas Rafael Cruz da Silva e a vendedora de lingeries Ágatha Gabrielli Correa Prosdócimo Saovessi foram presos na sexta-feira, suspeitos de tentar levar drogas para dentro da carceragem da Delegacia de Furtos e Roubos (DFR).

Escondidos num tubo de pasta de dentes e num pacote de bolachas, policiais encontraram 40 gramas de maconha e pequena quantidade de haxixe. O marido de Ágatha, Cleriston Saovessi, está preso na DFR, apontado como líder de uma quadrilha especializada em roubos a residência.

Ela entregou uma sacola com alimentos a Rafael, para que ele a entregasse ao preso. Ágatha afirmou que apenas entregou alimentos na sacola, e nada sabe sobre as drogas.

Amizade

Já Rafael sustentou que, do jeito que pegou a sacola com Ágatha, a levou para a delegacia, sem examinar o que havia nas embalagens. Ele disse que possui um amigo, chamado Diogo, que está preso na DFR. Sexta-feira, recebeu um telefonema do amigo, que dizia estar passando fome na cadeia e pediu que levasse comida.

Diogo teria orientado Rafael a se encontrar com Ágatha, que lhe entregaria alimentos. “Ele é meu amigo de muitos anos, crescemos juntos. Apenas quis ajudá-lo, trazendo comida. Nem sabia que tinha droga dentro”, afirma o detido.

Assaltante

O escrivão Bernardo explicou que o marido de Ágatha foi preso em 19 de abril, por tentativa de homicídio, quando trocou tiros com a Polícia Militar. Ele é investigado por vários roubos a residências de luxo, entre eles um no Jardim das Américas, um no Água Verde e dois no Batel. Na casa, dele a polícia encontrou um colete balístico, de uma empresa de segurança.