t84a220105.jpg

Lírio Wilson dos Santos e Luciano de Lima.

Lírio Wilson dos Santos, o "Black", 19 anos, e Luciano Farias de Lima, 25, foram presos por investigadores da Delegacia de Furtos e Roubos (DFR) sob a acusação de serem assaltantes de taxistas. Um terceiro indivíduo, identificado como Marcos dos Santos, 26, está foragido. Os presos foram apresentados à imprensa na tarde de ontem.

De acordo com o delegado Rubens Recalcatti, ele e seus investigadores haviam retornado de uma operação, realizada em conjunto com outras duas delegacias especializadas, quando receberam a informação de que um taxista tinha sido assaltado no Boa Vista. Como Recalcatti já havia sido avisado que um posto de combustível naquela região também fora assaltado recentemente, reuniu quatro equipes da DFR e, com elas, seguiu até o local da ocorrência. Conforme informações da vítima, foi solicitada uma corrida por três indivíduos na Avenida Paraná, por volta das 3h30. Logo após entrarem no táxi, os homens deram voz de assalto ao motorista. Um dos marginais simulou estar com uma arma por baixo da blusa enquanto o outro apontou uma faca para o taxista. Os ladrões levaram R$ 87,00 e documentos da vítima. Também obrigaram o taxista a levá-los próximo a uma favela, no Tingüi.

Prisão

Depois de conversar com o taxista, os investigadores levantaram, junto à central de táxi, o nome da pessoa que solicitou a corrida. Para sorte da polícia, o solicitante e conseqüentemente um dos ladrões, forneceu seu nome verdadeiro (Lírio). Na manhã de quinta-feira, equipes da DFR já estavam fazendo batidas na favela onde revistaram barracos. "Detivemos várias pessoas e localizamos dois suspeitos, um deles chamado Lírio. Ele confessou a participação no crime e foi reconhecido pelo taxista", explicou Recalcatti.

Ação conjunta pra localizar autores de latrocínios

Na madrugada de quinta-feira, as delegacias de Furtos e Roubos, Homicídios e Furtos e Roubos de Veículos realizaram uma operação tentando localizar suspeitos de participação em roubos contra taxistas e provável ligação com as mortes de três deles, fatos ocorridos nos últimos 30 dias, em Curitiba e Região Metropolitana. As delegacias realizaram blitze nos bairros Xaxim, Vila São Pedro e Sítio Cercado e efetuaram diversas detenções. O resultado da operação deverá ser divulgado no início da próxima semana.

O último taxista morto foi Dorival Nogueira, 55 anos. O corpo dele foi encontrado no final da noite do dia 16, com um tiro na testa, na beira do asfalto da Rua Luiz Nichelle, quase esquina com Rua Ângelo Burbelo, Umbará. Uma hora antes de ser encontrado morto, Dorival foi procurado por dois rapazes no ponto de táxi junto ao terminal de ônibus do Sítio Cercado.

Carlos Ricardo de Moraes, 27 anos, estava no mesmo ponto de táxi no Sítio Cercado quando fez sua última corrida, na madrugada de 30 de dezembro. Ele foi encontrado morto na Rua Alferes Pedro Magno de Barros, Vila São Pedro, Xaxim – três homens foram vistos saindo rapidamente do carro da vítima.

Em 13 de dezembro, João Lázaro da Silva, 50 anos, apanhou três pessoas no centro de Fazenda Rio Grande e foi baleado logo em seguida, no Jardim da Ordem, Tatuquara. Ele não resistiu e morreu no hospital.