Em Tamandaré, detentos sofrem revista.

Pacientemente, presos da delegacia de Fazenda Rio Grande rasparam o teto de uma cela até abrir um buraco no concreto. Por ali 12 conseguiram escapar à 1h30 de ontem, sem que qualquer deles fosse recapturado até o início da tarde.

Os detentos usaram um pequeno estoque para cavocar o teto. Pelo vão aberto chegaram ao forro e depois ao alçapão, e por ele alcançaram a liberdade. Um único policial cuidava da delegacia na ocasião.

Assim como a maioria das cadeias da região metropolitana de Curitiba, o xadrez de Fazenda Rio Grande estava superlotado. No momento da fuga, 48 detentos se espremiam num espaço com capacidade para 20.

Os fugitivos são: Alanciser César do Prado e Alexander Cavalheiro (presos por latrocínio); Cleberson Oliveira Silva, Cléverson Lima Fonseca, Célio Estevani, Eduardo Augusto Calisto, Elisson de Lins Pereira, Fábio André da Silva e Paulo Fernando Azevedo (presos por assalto); Erick Gilberto de Lima e Juarez Castorino Franco (homicídio) e Marcelo Celizario (furto).

A PM ajudou a Polícia Civil nas buscas aos fugitivos, mas não houve sucesso.

Tentativa

Na Delegacia de Almirante Tamandaré, uma tentativa de fuga foi abortada pela polícia às 20h de sábado. Quatro presos teriam liderado a ação, serrando barras de ferro de duas celas. Policiais perceberam e com apoio do grupo Tigre frustraram os rebelados. Um dos detentos contou que uma das serras entrou na cadeia escondida no absorvente íntimo de uma visitante.

Os supostos líderes da tentativa de fuga foram isolados dos demais. O xadrez de Almirante Tamandaré acomodava 47 presos num espaço em que só cabem 20.