Dois funcionários terceirizados da Repar (Refinaria Getúlio Vargas, em Araucária) foram presos na manhã de ontem, após assaltar duas mulheres naquele município, na noite de quarta-feira.

Além de lesar uma das vítimas em R$ 3 mil, Felipe Oliveira Siqueira Rodrigues, 20 anos, e Jairo Leão dos Santos, 21, ainda abusaram sexualmente dela. De acordo com o delegado Rubens Recalcatti, titular da delegacia local, aparentemente os dois agiram sem armas e atacaram as mulheres entre 19h30 e 20h30.

A primeira vítima foi surpreendida pela dupla perto de casa, na Rua Guadalajara, centro de Araucária. Eles estavam de capacete numa moto Honda CG Titan. “Os dois deram voz de assalto e nem desceram da moto. Nem vi se estavam armados e entreguei tudo”, contou a mulher que teve documentos e um MP4 roubados. Só o aparelho não foi recuperado.

A outra vítima foi uma jovem de 20 anos, também surpreendida pelos marginais no caminho de casa, em frente à Câmara Municipal. Como estava perto de um matagal, a dupla a levou até o local e exigiu que ela abaixasse as calças.

“A vítima se negou. Então, eles abaixaram à força e colocaram as mãos nas partes íntimas dela”, contou o delegado. Em seguida, fugiram levando os pertences da vítima, inclusive a senha de um cartão de crédito e R$ 760 em dinheiro, que era parte do pagamento dela.

Rastro

Durante a noite, os marginais fizeram saques e compras com o cartão da vítima no valor de R$ 2.370. “Nós passamos a monitorar as operações feitas com o cartão de crédito, e descobrimos os saques feitos”, contou o delegado.

Na manhã de ontem, Recalcatti soube que Felipe comprou um som para o carro com o cartão da vítima numa loja no centro da cidade. Para não despertar a atenção do criminoso, o delegado tomou o táxi de um amigo e constatou que Felipe estava no local.

Depois de prender o rapaz, Recalcatti e uma equipe de policiais foram até a casa de Jairo, no bairro Costeira, onde foi detido. Segundo Recalcatti, os documentos das vítimas foram recuperados.

Nenhuma arma foi encontrada com a dupla. A moto usada nos crimes, que não tinha alerta de furto ou roubo, foi apreendida. Felipe e Jairo, que são naturais de Camaçari (BA) e não têm passagem pela polícia.