Dois dias depois de o empresário Paulo Augusto Fernandes de Sousa, 49 anos, ter sido sequestrado e assassinado, a delegacia de Campo Largo prendeu o principal suspeito do crime.

O foragido da Justiça paulista Antônio Luiz Martins dos Santos, 28, foi detido em casa, onde foram apreendidas uma mochila e roupas sujas de sangue, descritas por testemunhas.

A polícia também recolheu um preservativo da mesma marca dos que foram encontrados no carro da vítima, e um aparelho de detecção fetal, que ele não soube dizer a procedência.

Antônio foi preso por roubo, em 2008, em Tupi, interior paulista e condenado a 6 anos de cadeia. Cumpriu dois e, quando foi transferido para o regime semiaberto, em Itanhanhem (SP), saiu e não voltou.

Ele afirmou que estava morando na casa da mãe e que não cometeu o crime, mas não soube explicar como as roupas sujas de sangue, a mochila, citadas por testemunhas, foram parar no seu quarto.

Receptação

Sobre o aparelho médico, o investigador Gogola disse Antônio alegou não saber para que serve. “Temos informações que recentemente uma casa hospitalar teve equipamentos furtados. Os responsáveis devem fazer o reconhecimento do objeto, e caso se confirme ser produto de furto, ele também será autuado por receptação”.

O empresário foi morto na manhã de domingo, quando saia da igreja. Segundo testemunhas ele foi abordado por um morador de rua e usuário de drogas. Em seguida foi obrigado a dirigir pela BR-277 até o quilômetro 119, onde saiu do carro esfaqueado.

A vítima tinha uma lanchonete em uma universidade de Curitiba. “Uma testemunhas deu as características da pessoa que estava com ele no carro, disse como ele era, as roupas que usava e as cores da mochila”, contou Gogola.