Ciciro Back
Elisandro, o "Xisto".

Apontado como líder de uma quadrilha que assaltava chácaras e residências, em São José dos Pinhais, Elisandro dos Santos, conhecido como "Xisto", 23 anos, foi preso na manhã de ontem em uma chácara na localidade de Borda do Campo, naquele município.

O delegado Rodrigo Brow de Oliveira, do Centro de Operações Policiais Especiais (Cope), informou que a operação foi deflagrada especialmente para cumprir o mandado de prisão de "Xisto" e seis mandados de busca e apreensão.

As buscas foram feitas nas colônias Malhadas, Murici e Roça Velha, e também em Borda do Campo e no bairro Boqueirão, em Curitiba.

De acordo com o policial, em janeiro último, foi preso Valdenir Donizete Miguel, 31 anos, que também integrava a quadrilha. "Este rapaz forneceu algumas pistas. Aprofundamos as investigações e identificamos o líder", revelou Oliveira. Outro fato que ajudou nas investigações foi a prisão de um homem chamado Miguel, no dia 25 de janeiro, sob a acusação de assaltar dois motéis, um mercado e uma chácara no ano passado. "Ao ser preso, Miguel estava com vários eletrodomésticos e vídeos pornográficos, provavelmente roubado dos motéis. Ele confessou a autoria dos crimes e confirmou o envolvimento de outros homens", contou o delegado, salientando que as investigações começaram em dezembro, devido ao grande número de assaltos realizados em chácaras na Região Metropolitana de Curitiba.

Segundo Rodrigo, a prisão de Valdenir possibilitou que os policiais planejassem como iriam colocar os outros integrantes atrás das grades. "Há duas semanas os mandados foram expedidos, mas estávamos aguardando o momento certo para agir", explicou. Ele avisou que os trabalhos ainda não foram encerrados e outras três pessoas envolvidas nos assaltos já estão identificadas.

Rodrigo salientou que os quadrilheiros agem com violência e para evitar reconhecimento usam capuzes. "Eles trancam as vítimas em banheiros e cômodos pequenos e as aterrorizam, enquanto seus comparsas roubam os objetos e os carros", contou. O delegado acredita que o grupo age há dois anos. Ele falou que as investigações não apontaram o envolvimento do grupo liderado por "Xisto" com a quadrilha recentemente desmantelada em Campina Grande do Sul.