A arma que matou Yara Reis Dalledone, 76 anos, na terça-feira de manhã, foi encontrada pela polícia na noite de quarta-feira. O revólver, calibre 38, estava com o montador de móveis Francisco Wellington Oliveira Silva, 27, preso no Jardim Paloma, em Colombo.

Segundo a investigação da Delegacia de Furtos e Roubos (DFR), Francisco não participou do assalto à casa da idosa, mas teria emprestado o revólver aos marginais, moradores do mesmo bairro. A arma foi roubada em março, durante um assalto à casa de um coronel aposentado do Exército, em Ponta Grossa. Apenas um projétil havia sido deflagrado, os outros 5 estavam intactos.

Quadrilha

Yara foi morta dentro de casa, na Rua Alberto Folloni, no Ahu. A empregada dela, Helena da Silva Santos, 45, foi presa sob acusação de facilitar o crime. Daniel dos Santos Silva, 18, e um adolescente de 17 anos foram capturados junto com ela. Marcelo Pereira dos Santos, 26, namorado de Helena, que seria o autor do disparo fatal, conseguiu fugir. Ele já era procurado por roubo e estupro, crimes cometidos em São Paulo.

Francisco disse à polícia que guardava a arma para o filho de uma cliente sua, identificado por ele apenas como Emerson. “Ele me entregou o revólver e eu nem sabia que tinha sido usado no assassinato. Este Marcelo eu nem conhecia”, alegou. Segundo o delegado Rodrigo Brown de Oliveira, depois do homicídio, a arma foi entregue por Marcelo a um menor. “Este adolescente entregou para outro, que levou a arma novamente para Francisco”, explicou. Francisco, que é natural do Ceará e mora em Colombo desde novembro passado, permanece preso na delegacia.